Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Israel oferece concessões

O primeiro-ministro israelita Ehud Olmert estendeu ontem um ‘ramo de oliveira’ aos palestinianos, afirmando que está na hora de ambos os lados avançarem de forma decidida para um acordo de paz global.
28 de Novembro de 2006 às 00:00
Falando naquele que foi o tom mais conciliatório que usou para com os palestinianos desde que tomou posse em Março, Olmert afirmou que Israel está preparado para fazer grandes concessões pela paz. “Estendo a minha mão em paz aos nossos vizinhos palestinianos na esperança de que não fique vazia”, afirmou o primeiro-ministro israelita, que ofereceu incentivos humanitários e económicos aos palestinianos em troca de “verdadeira paz”.
Pela primeira vez, Olmert admitiu libertar “um grande número de prisioneiros palestinianos”, incluindo presos condenados a longas penas, se os palestinianos libertarem o soldado Gilad Shalit, sequestrado em Junho por grupos armados.
Afirmando que os palestinianos estão perante uma “encruzilhada histórica”, Olmert afirmou ainda que Israel está disposto a levantar as restrições à circulação de pessoas nos territórios palestinianos, libertar os impostos retidos desde a chegada do Hamas ao poder e desmantelar um grande número de colonatos, abrindo caminho à criação de um Estado palestiniano viável, se em troca o governo palestiniano renunciar à violência de forma clara, reconhecer o direito de Israel à existência e aceitar os acordos de paz anteriores.
A Autoridade Palestiniana já reagiu, exigindo ao governo israelita “factos e não apenas palavras” e o regresso imediato ao ‘Roteiro da Paz’.
As declarações de Olmert, apesar de não trazerem nada de novo, surgem num contexto importante, um dia após a entrada em vigor de um cessar-fogo em Gaza e nas vésperas da visita do presidente norte-americano George W. Bush.
PERIGO DE TRÊS GUERRAS CIVIS
O rei Abdullah da Jordânia alertou para o “perigo real” de eclosão de “três guerras civis” no Médio Oriente, se não forem encontradas soluções para os conflitos em curso na Palestina, Líbano e Iraque.
“Está na altura de a comunidade internacional avançar de forma determinada para evitar uma crise tremenda, a qual receio que possa estoirar já em 2007”, afirmou o monarca em entrevista a uma cadeia de TV americana. Abdullah recebe esta semana em Amã o presidente George W. Bush, que realiza um périplo diplomático pelo Médio Oriente.
SOLTAS
ATAQUE MATA DOIS
Tropas israelitas mataram ontem um líder militante na Cisjordânia, num ataque que causou ainda uma vítima civil. O alvo do ataque foi Abdel-Razek Baker, um comandante local dos Comités de Resistência Popular, mas no tiroteio perdeu ainda a vida uma mulher. Recorde-se que o cessar-fogo entre Israel e os palestinianos apenas está em vigor na Faixa de Gaza.
'ROCKETS'
Apesar da trégua, militantes palestinianos voltaram ontem a disparar ‘rockets’ contra a localidade fronteiriça israelita de Sderot. O ataque não causou feridos nem danos materiais avultados.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)