Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

ISRAEL PÁRA DEMOLIÇÕES

Após três dias de destruição, o Exército israelita cessou ontem a demolição do edifício da Mukata, em Ramallah, na Cisjordânia, onde o líder palestiniano, Yasser Arafat, se encontra confinado há quatro dias.
23 de Setembro de 2002 às 00:03
Segundo informações recebidas à hora do fecho da edição, apesar das tropas israelitas ainda permanecerem no local, as escavadoras já o tinham abandonado, algo que foi posteriormente desconfirmado por um dos conselheiros de Arafat.

A decisão de pôr fim à destruição dos complexos que fazem parte dos edifícios da Autoridade Palestiniana em Ramallah foi anunciada depois de uma reunião em Jerusalém entre oficiais militares israelitas e horas depois de nas ruas das cidades da Cisjordânia e Gaza milhares de palestinianos terem protestado contra a ofensiva israelita sobre o quartel-general da Autoridade Palestiniana.

manifestações que acabaram em confrontos com o exército

Pelo menos quatro palestinianos morreram e dezenas ficaram feridos por disparos do Exército. Mas foram sobretudo os protestos da comunidade internacional, em particular dos Estados Unidos, que poderão ter convencido o governo israelita.

Depois de três dias de destruição sistemática da Mukata, numa operação denominada por Israel de "Uma Questão de Tempo", ainda se mantém um único edifício de pé que, apesar de rodeado por escombros e danificado pelas investidas israelitas, é a única barreira de defesa de Arafat e de 200 colaboradores.

Apelo dramático

Durante o dia de ontem, o Exército cortou a água, luz e telefone do edifício, levando Arafat a apelar pela sua vida à comunidade internacional. “A minha vida corre perigo”, afirmou o líder palestiniano, reafirmando que não se vai render, pois quer “provar o sabor do martírio”, nem sequer vai entregar os homens que Israel pretende, uma vez que isso seria um verdadeiro “suicídio político”.

A retirada das escavadoras não significa o fim das exigências israelitas sobre a rendição dos 20 homens procurados por Israel, embora não seja especificado como é que o governo de Sharon vai consegui-la.

No final do dia de ontem, o Exército garantiu que iria enviar água e comida para o edifício de Arafat, mas as tropas que ainda permaneciam estacionadas nas suas imediações começaram a rodear a Mukata com arame farpado, o que levantou a suspeita da destruição não ter acabado, algo que um dos conselheiros de Arafat, Nabil Abu Rudeineh, confirmou.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)