Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Israel promete estudar tréguas

Israel afirmou ontem concordar com os princípios do plano de paz proposto pelo Egipto e pela França, mas afirmou precisar de conhecer melhor os detalhes sobre a sua implementação para dar o ‘sim’ definitivo. Para já, as armas vão calar-se diariamente durante três horas para permitir à população de Gaza sair dos abrigos para procurar alimentos e enterrar os mortos.
8 de Janeiro de 2009 às 00:30
Crianças aproveitam a pausa nos combates para brincar na rua
Crianças aproveitam a pausa nos combates para brincar na rua FOTO: Ali Ali / Epa

A proposta franco--egípcia, apresentada terça-feira em Sharm el-Sheikh, previa um cessar-fogo inicial de 48 horas, seguido por conversações no Cairo sobre as formas de travar o contrabando de armas e mísseis para o Hamas, mas Israel acabou por concordar apenas com uma trégua diária de três horas, a primeira das quais foi cumprida já ontem. Pela primeira vez desde o início dos bombardeamentos israelitas, a 27 de Dezembro, a população de Gaza pôde sair à rua para comprar bens essenciais, procurar saber notícias de familiares e amigos e enterrar os mortos. A trégua foi cumprida ao minuto, e mal passaram as três horas, os bombardeamentos recomeçaram.

Num sinal de boa vontade para com os esforços diplomáticos em curso, Israel decidiu adiar, para já, a discussão da entrada em vigor da ‘terceira fase' da ofensiva, que prevê o envio de tropas para os grandes aglomerados urbanos, onde a resistência do Hamas será mais feroz.

Pelo menos 13 palestinianos foram ontem mortos pelas forças israelitas, enquanto o Hamas disparou pelo menos 15 rockets contra o sul de Israel, sem causar vítimas.

OBAMA QUER PAZ NEGOCIADA

O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, prometeu ontem que assim que tomar posse, a 20 de Janeiro, se vai "empenhar imediatamente" na procura de uma solução negociada para o conflito israelo--palestiniano. Obama, que tem sido muito criticado pelo seu silêncio desde o início da ofensiva israelita, voltou a lembrar que não tenciona pronunciar-se sobre assuntos de política externa enquanto não tomar posse, voltando a insistir que os EUA "só têm um presidente". "Não podemos dar ao Mundo a imagem de que os EUA têm duas administrações a conduzir a política externa", justificou, antes de adiantar que a sua equipa está a fazer todos os esforços para que, "a partir do primeiro dia, possamos lidar devidamente com esta situação".

MAIS DADOS

PORTUGUESES ESTÃO BEM

Os cerca de 500 portugueses residentes na região estão bem e até ao momento nenhum pediu ajuda ao governo português, informou o secretário de Estado das Comunidades, António Braga.

UE PROPÕE FORÇA

A Holanda e a Dinamarca propõem o envio de uma força da UE para ajudar a controlar a fronteira entre o Egipto e a Faixa de Gaza e a travar o contrabando de armas e mísseis para o Hamas.

 CONFUSÃO DE SARKOZY

O presidente francês Nicolas Sarkozy causou confusão, ao anunciar que Israel tinha "aceitado" a proposta de tréguas. Mais tarde recuou, afirmando que apenas pretendia saudar a abertura do Estado judaico.

EMBAIXADOR EXPULSO

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, expulsou o embaixador de Israel em Caracas em protesto contra a ofensiva em Gaza.

 

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)