Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Itália faz novos cortes

Um em cada dez funcionários públicos irá ser despedido
7 de Julho de 2012 às 01:00
O governo chefiado por Mario Monti aprovou as novas medidas
O governo chefiado por Mario Monti aprovou as novas medidas FOTO: Max Rossi/Reuters

O governo italiano aprovou ontem novos cortes orçamentais e despedimentos na Função Pública, com o objectivo de poupar 26 mil milhões de euros nos próximos três anos.

Após uma reunião que durou sete horas e terminou já de madrugada, o executivo liderado por Mario Monti aprovou um decreto-lei que inflige um golpe substancial nos gastos excessivos da Administração Pública, incluindo redução de pessoal. Na prática, um em cada dez funcionários públicos será despedido. Por outro lado, serão eliminados 20% dos cargos directivos. Ainda em nome da poupança serão eliminadas, através de fusões, mais de metade das províncias - de 110 para 50.

Monti explicou que a poupança prevista com estas medidas será de 4,5 mil milhões de euros para o segundo semestre deste ano, de 10,5 mil milhões para 2013 e de 11 mil milhões de euros para 2014. Ainda segundo o chefe do governo, graças a estas medidas será evitado o temível aumento do IVA (até 23%), que entraria em vigor já em Outubro deste ano.

Este novo pacote , que vai ainda a votos no Parlamento, prevê também um corte de pelo menos 10% do pessoal das Forças Armadas, enquanto os gastos com viaturas oficiais vão sofrer cortes até 50% face aos valores de 2011. Monti afirmou estarem ainda previstas reduções nos custos relacionados com a compra de bens e serviços nos sectores da Saúde e Educação.

Reagindo aos cortes ontem anunciados, os sindicatos, que consideram que estão apenas previstos "cortes horizontais", alertaram desde logo para a possibilidade da convocação de uma greve geral. *com agências

crise euro itália cortes reformas
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)