Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Italianos mortos em Nassíria

A explosão de uma bomba à passagem de uma coluna militar da coligação nos arredores de Nassíria, no sul do Iraque, provocou ontem a morte a três militares italianos e um romeno, e ressuscitou em Itália o debate sobre a retirada imediata das tropas italianas. Pressionado por alguns dos seus aliados, o primeiro-ministro indigitado Romano Prodi já assegurou que o ataque não antecipará a retirada italiana.
28 de Abril de 2006 às 00:00
Segundo um porta-voz da coligação, os militares seguiam numa coluna de quatro veículos, nos arredores de Nassíria, quando uma bomba colocada ao lado da estrada explodiu, destruindo o veículo blindado em que seguiam. Além dos três militares italianos e um romeno - a primeira baixa mortal do contingente daquele país no Iraque - que perderam a vida, um quarto soldado italiano ficou gravemente ferido no ataque, que foi o mais grave contra o contigente italiano no Iraque desde Novembro de 2003, quando um carro armadilhado explodiu junto à base do contingente transalpino, provocando a morte a 19 militares e dois civis italianos.
Este ataque foi muito falado em Portugal na altura, recorde-se, pois ocorreu poucos dias antes da chegada a Nassíria do contingente português, que ficaria instalado na base atingida.
O ataque de ontem provocou uma pequena tempestade política em Itália, com vários aliados do primeiro-ministro indigitado Romano Prodi a exigirem a retirada imediata do contingente italiano. Prodi, que prometeu retirar as tropas daquele país se fosse eleito, já assegurou, porém, que não irá alterar os seus planos de proceder a uma retirada gradual e concertada com as autoridades iraquianas.
SOLTAS
ASSASSINATO
Um grupo armado assassinou ontem em Bagdad Maisun Ahmed al-Hashemi, a irmã do novo vice-presidente iraquiano Tarek al-Hashemi.
ABUSOS
Pelos menos 460 suspeitos detidos pelos EUA no Iraque, Afeganistão e Guantanamo terão sido alvo de abusos, cometidos por cerca de 600 militares e civis americanos.
Ver comentários