Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Japão impõe sanções aos EUA

As autoridades japonesas vão impôr taxas alfandegárias retaliatórias até 50 milhões de dólares sobre as importações de alguns produtos dos EUA por forma a contrariar os subsídios distribuídos a empresas norte-americanas ao abrigo de um programa de compensação considerado ilegal pela Organização Mundial do Comércio.
1 de Agosto de 2005 às 15:32
De acordo com uma fonte governamental japonesa, citada pela agência Reuters, o sistema de taxas alfandegárias retaliatórias sobre importações norte-americanas e deverá ser aprovado formalmente em breve, esperando-se que entre em vigor a 1 de Setembro.
O objectivo desta medida é forçar as autioridades norte-americanas a anular a chamada Lei Byrd (o senador Robert Byrd foi o principal promotor). A Administração Bush já deu sinais de querer anular essa legislação, mas o Congresso está de férias, por um mês, pelo que é bem provável que nada se altere a curto prazo. Por isso, é muito provável que a retaliação comercial japonesa entre mesmo em vigor. Será a primeira vez que o Japão adopta uma medida do género.
A Lei Byrd permitiu a distribuição de mais de mil milhões de dólares em subsídios a empresas norte-americanas de diversos sectores industriais. O dinheiro é procedente de taxas alfandegárias de importações de produtos de empresas que os norte-americanos consideram estar a ser apoiadas pelos respectivos Estados.
A OMC, com base numa queixa apresentada pela União Europeia, Canadá e Japão, considera a Lei Byrd ilegal. A União Europeia já levantou taxas alfandegárias retaliatórias a produtos norte-americanos num total de 28 milhões de dólares. O Canadá fez o mesmo mas no valor de 14 milhões de dólares. Agora segue-se o Japão, que elevou a 'fasquia' para um 'castigo' de 50 milhões de dólares.
Ver comentários