Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Jihadistas matam refém canadiano

Terroristas pediam 11,5 milhões para libertar Robert Hall.
Isabel Faria 14 de Junho de 2016 às 08:53
Robert Hall, na foto a ser ameaçado com uma faca, ao lado de outros sequestrados pelo grupo Abu Sayyaf
Robert Hall, na foto a ser ameaçado com uma faca, ao lado de outros sequestrados pelo grupo Abu Sayyaf FOTO: DR
Um canadiano sequestrado nas Filipinas pelo grupo jihadista Abu Sayyaf (ASG) foi morto esta segunda-feira, após ter expirado o prazo para pagamento de um resgate de 11,5 milhões de euros exigido pelos terroristas. O anúncio foi feito pelo diário ‘Philippine Daily Inquirer’ e confirmado por fontes do serviços de segurança à estação de televisão canadiana CBC.

Robert Hall foi capturado em setembro, juntamente com três outros reféns do Canadá, Filipinas e Noruega. Em comunicado, o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, já lamentou esta morte e disse ter "razões para acreditar que um cidadão canadiano, Robert Hall, refém nas Filipinas desde 21 de setembro de 2015, foi morto pelos seus captores".

Segundo o jornal ‘Philippine Daily Inquirer’, na manhã de segunda-feira, os rebeldes do ASG permitiram que Hall falasse ao telefone com os seus jornalistas antes de ser executado. O canadiano explicou que o seu estado físico era "muito grave" e que estava a "ser morto à fome". "Não me deixam dormir e ameaçam esfaquear-me", disse. Horas mais tarde, um porta-voz do grupo ASG informou o citado jornal de que Robert Hall tinha sido assassinado, após ter expirado o prazo dado para o pagamento do resgate.

O exército das Filipinas está a investigar a veracidade da comunicação. Hall foi capturado em 2015 num complexo de luxo na ilha de Salman, juntamente com o conterrâneo John Ridsdel, o norueguês Kjartan Sekkingstad e a filipina Marites Flor.

Jihadistas refém crime homicídio terroristas Robert Hall Filipinas Abu Sayyaf