Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Jornalista deportado da Venezuela por causa de entrevista

Maduro não gostou de perguntas de Jorge Ramos sobre democracia e crise humanitária.
Francisco J. Gonçalves 27 de Fevereiro de 2019 às 01:30
Ramos e a sua equipa da TV norte-americana ‘Univision’ foram mantidos presos e depois foram expulsos do país
Jornalistas de Univisión detidos na Venezuela por fazerem preguntas incómodas no palácio presidencial
Jornalistas de Univisión detidos na Venezuela por fazerem preguntas incómodas no palácio presidencial
Nicolàs Maduro
Ramos e a sua equipa da TV norte-americana ‘Univision’ foram mantidos presos e depois foram expulsos do país
Jornalistas de Univisión detidos na Venezuela por fazerem preguntas incómodas no palácio presidencial
Jornalistas de Univisión detidos na Venezuela por fazerem preguntas incómodas no palácio presidencial
Nicolàs Maduro
Ramos e a sua equipa da TV norte-americana ‘Univision’ foram mantidos presos e depois foram expulsos do país
Jornalistas de Univisión detidos na Venezuela por fazerem preguntas incómodas no palácio presidencial
Jornalistas de Univisión detidos na Venezuela por fazerem preguntas incómodas no palácio presidencial
Nicolàs Maduro
O jornalista mexicano Jorge Ramos, da TV norte-americana ‘Univision’, foi detido durante várias horas na Venezuela e vai ser expulso do país depois de irritar o presidente Nicolás Maduro durante uma entrevista no palácio presidencial de Miraflores.

Como Ramos explicou ao telefone, Maduro não gostou das perguntas sobre falta de democracia, tortura de presos políticos e crise humanitária na Venezuela.

Mas a gota de água foi o momento em que Ramos mostrou a Maduro um vídeo filmado nos arredores do palácio presidencial no qual um grupo de jovens come de um camião do lixo.

Logo que viu as imagens, o presidente levantou-se e deixou a sala. De seguida, o ministro da Comunicação, Jorge Rodríguez, veio comunicar que a entrevista estava terminada.

"Confiscaram-nos todo o material. São eles que têm a entrevista", contou Ramos, dizendo que ele e os restantes elementos da equipa da Univision, seis ao todo, foram metidos em salas de segurança: "Tiraram-nos os telemóveis e mantiveram-nos separados duas horas e meia".

O ministro alega que o jornalista chamou várias vezes "ditador" e "assassino" a Maduro. "Não veio entrevistar, veio insultar e gravar às escondidas em zonas de segurança do palácio", afirmou Rodríguez, concluindo: "Não nos prestamos a espetáculos baratos".

Vídeo de jovens a comer lixo irrita Maduro
"Temos fome. Não podemos continuar a comer do lixo. Queremos derrubar o presidente". As palavras são de um jovem de 26 anos, filmado pela equipa de Jorge Ramos para a TV norte-americana de língua espanhola ‘Univision’ no momento em que comia restos apanhados de um camião do lixo.

O vídeo foi mostrado a Nicolás Maduro durante uma entrevista no palácio presidencial que acabou de imediato, pois o presidente ficou irritado.

Rússia acusa EUA de quererem invadir
"Os EUA estão a preparar a invasão de um Estado independente", afirmou o sec. do Cons. de Segurança da Rússia Nikolai Patrushev, denunciando a deslocação de tropas para Porto Rico e Colômbia.

PORMENORES
Obrador recusa apoio
O presidente mexicano, López Obrador, anunciou que não tomará partido por nenhum dos lados da crise venezuelana, recusando pressões dos EUA para apoiar o opositor Juan Guaidó.

Protesto mexicano
Marcelo Ebrard, MNE do México afirmou ter transmitido ao governo venezuelano "o protesto pelo que aconteceu a Jorge Ramos e à sua equipa".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)