Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Kabila anuncia fim da anarquia

Joseph Kabila, que ontem tomou posse como o primeiro presidente da República Democrática do Congo (R. D. Congo), eleito democraticamente em mais de 40 anos, apelou aos compatriotas para que comecem a trabalhar para o desenvolvimento do país, devastado pela guerra e pela má gestão.
7 de Dezembro de 2006 às 00:00
Kabila passa em revista as tropas após a investidura como Chefe de Estado da R. D. Congo
Kabila passa em revista as tropas após a investidura como Chefe de Estado da R. D. Congo FOTO: Yves Herman/Reuters
Uma das ausências mais notadas na cerimónia de posse de Kabila foi a de Jean-Pierre Bemba, o candidato derrotado nas presidenciais, que deverá chegar a Portugal para descansar. Sem confirmar a chegada de Bemba, o gabinete do ministro dos Negócios Estrangeiros português disse que “Bemba tem casa no Algarve, pelo que é natural que venha cá, embora nada tenha sido pedido ao ministério”.
O filho do líder rebelde congolês Laurent-Désiré Kabila, Joseph Kabila, de 35 anos, eleito por um período de cinco anos e que só pode ser renovado uma vez, anunciou o fim da diversão: “Este momento marca o início de uma nova era que deve proporcionar bem-estar e desenvolvimento ao povo do Congo. Anuncio o fim da diversão para que as pessoas se possam dedicar ao trabalho, num clima de paz e tranquilidade”, declarou. “O Congo do futuro ajudará a estabelecer a ordem em toda a África”, acrescentou.
Vários chefes de Estado e governo e o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, assistiram à posse. Portugal esteve representado pelo secretário de Estado das Comunidades, António Braga.
Recorde-se que os 30 fuzileiros da Marinha e 17 militares da Força Aérea portuguesa, que integraram a missão da UE durante o processo eleitoral, destacados para garantir a estabilidade e a segurança, já regressaram ao País.
PERFIL
Joseph Kabila nasceu a 4 de Junho de 1971 em Hewa Bora. Tornou-se presidente da R. D. Congo depois do assassinato do seu pai, Laurent-Désiré Kabila, a 16 de Janeiro de 2001. Após o acordo de paz em 2003, Kabila formou um governo de transição, indicando Jean-Pierre Bemba como um dos vice-presidentes.
Ver comentários