Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Kibaki admite novas eleições

O governo do presidente do Quénia, Mwai Kibaki, adoptou um tom mais conciliador e admite aceitar a realização de novas eleições presidenciais, reclamadas pela oposição, se o Supremo Tribunal assim o ordenar. O país tem sido palco de uma crescente vaga de violência pós-eleitoral por alegadas irregularidades, tendo já morrido mais de 300 pessoas.
5 de Janeiro de 2008 às 00:00
O porta-voz do executivo, Alfred Mutua, tornou pública a disposição do governo de Nairobi de convocar novas eleições caso o Supremo Tribunal assim o decida. Questionado sobre a possibilidade de o Supremo ordenar a repetição da votação de 27 de Dezembro último, Mutua afirmou: “Sempre e quando for legal, o governo aceita qualquer tipo de decisão que respeite a Constituição.”
O presidente reeleito, Mwai Kibaki, mostra-se agora disposto a reunir-se com os adversários políticos, após reunião com Desmond Tutu, arcebispo emérito sul-africano e Prémio Nobel da Paz. “Estou disposto a dialogar com a oposição quando o país recuperar a calma e não ocorrerem mais incidentes violentos”, afirmou Kibaki. Por seu lado, o procurador--geral, Amos Waki, apelou para que seja devidamente revista a questão da realização do escrutínio. As manifestações de protesto marcadas pela oposição para Nairobi foram ontem novamente suspensas devido à presença de forte contingente policial, a exemplo do que sucedera na véspera.
A ONU alertou entretanto que mais de cem mil deslocados não dispõem de água nem medicamentos e a Cruz Vermelha estima que sejam meio milhão os necessitados de ajuda urgente.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)