Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Leva filho de cinco anos à Disneyland antes de o matar

Crime foi uma vingança contra a ex-mulher e mãe do menino.
17 de Setembro de 2017 às 11:24
Leva filho de cinco anos à Disneyland antes de o matar
Leva filho de cinco anos à Disneyland antes de o matar
Leva filho de cinco anos à Disneyland antes de o matar
Leva filho de cinco anos à Disneyland antes de o matar
Leva filho de cinco anos à Disneyland antes de o matar
Leva filho de cinco anos à Disneyland antes de o matar
Leva filho de cinco anos à Disneyland antes de o matar
Leva filho de cinco anos à Disneyland antes de o matar
Leva filho de cinco anos à Disneyland antes de o matar
No passado dia 22 de abril de 2017, Aramazd Andressian Sr, de 35 anos, foi encontrado inconsciente dentro de uma viatura cinzenta, regada de gasolina, em South Pasadena, na Califórnia.

O homem, que foi encontrado por um individuo que estava a passar junto ao local, tinha acabado de fazer uma viagem à Disneyland com o filho de cinco anos, Piqui. No regresso, o pai deveria ter levado o filho a casa da mãe, Ana, de quem estava divorciado há pouco tempo. No entanto, o menino nunca não regressou e desapareceu por completo.

Quando Aramazd Sr chegou ao hospital, dizia não se lembrar com clareza do que tinha acontecido, no entanto, afirmava a pés juntos que teria sido atacado por alguém desconhecido.

Piqui, não obstante, continuava sem dar sinais de vida. A mãe da criança contactou o parque temático de Walt Disney e todos os hospitais, mas não havia rasto do menino em lado nenhum.

As autoridades iniciaram uma investigação para encontrar o menor. O pai continuava a afirmar que a única coisa de que se lembrava era de estar com o filho e de repente acordar na cama de um hospital. A polícia descobriu que este tinha tomado uma dose avultada de comprimidos, que lhe fez perder os sentidos. O homem foi preso por suspeitas de ligação ao desaparecimento de Piqui, no entanto, acabou por ser libertado por falta de provas.

A investigação prosseguiu, no entanto, a falta de preocupação manifestada por Aramazd perante o desaparecimento do filho aumentou ainda mais as desconfianças das autoridades. Durante todo o tempo em que o menino esteve desaparecido, o homem foi a concertos de música, participou num concurso de boxe e até fez paraquedismo. Foi novamente preso, no entanto, mostrou-se sempre descontraído perante as perguntas da polícia e do tribunal.

Arazmad acabou por ceder à exaustão e revelou à polícia onde poderiam encontrar o corpo do filho de cinco anos. A criança foi morta pelo pai e abandonado junto a um lago, poucas horas depois de abandonarem a Disneyland.

O homem confessou que matou a criança para se poder vingar da ex-mulher, Ana, uma vez que nunca tinha aceitado de livre vontade o divórcio. "Espero que tenhas sempre na memória de que mataste o meu bebé todos os dias do resto da tua vida insignificante" disse a mulher ao ex-marido em tribunal, quando se deu por provada culpa de Arazmad no assassinato de Piqui.

O homem de 35 anos foi condenado a prisão perpétua pelo assassinato do filho de cinco anos.
Ver comentários