Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Líder do Partido Popular aberto a que Vox entre no governo espanhol

Casado pede regresso de apoiantes que trocaram populares pela extrema-direita.
Ricardo Ramos 27 de Abril de 2019 às 09:40
Pablo Casado esperou pelo último dia da campanha eleitoral para admitir a entrada da extrema-direita num futuro governo com o PP e o Cidadãos
Pablo Casado
Pablo Casado
Pablo Casado esperou pelo último dia da campanha eleitoral para admitir a entrada da extrema-direita num futuro governo com o PP e o Cidadãos
Pablo Casado
Pablo Casado
Pablo Casado esperou pelo último dia da campanha eleitoral para admitir a entrada da extrema-direita num futuro governo com o PP e o Cidadãos
Pablo Casado
Pablo Casado
O líder do Partido Popular, Pablo Casado, esperou até ao último dia da campanha eleitoral em Espanha para admitir aquilo que d durante semanas recusou abordar abertamente: a entrada do partido de extrema-direita Vox num eventual governo coligação com os ‘populares’ e o Cidadãos.

"No fim de contas, tanto o Vox como o Cidadãos, tenham 10 deputados ou 40, vão ter a influência que quiserem ter para entrar no governo ou para decidir a investidura. Por isso, de que vale a pena andarmos a pisar a mangueira uns dos outros se aquilo que temos que fazer é somar os nossos votos?", defendeu Casado em entrevista à Esradio.

É a primeira vez que Casado admite a entrada da extrema-direita no governo apesar de há muito a imprensa especular sobre um pacto pós-eleitoral a três entre PP, Cidadãos e Vox. A mensagem foi repetida horas depois num comício em Valencia, onde Casado exortou os militantes populares que se mudaram para o Vox desiludidos com o partido a regressarem porque o PP "mudou".

"Não queremos que digam que votariam em nós se mudássemos. Já mudámos. Já corrigimos os erros do passado e aprendemos com eles", assegurou o líder do PP, que está em segundo lugar nas sondagens atrás do PSOE do primeiro-ministro Pedro Sánchez.

Casado espera conseguir reunir os votos suficientes para chegar à maioria com a ajuda do Cidadãos, que está em terceiro lugar nas sondagens, e do Vox, apesar de boa parte do eleitorado olhar com repugnância a possível entrada da extrema-direita no governo.

Já os socialistas contam com o apoio do Podemos e de pequenos partidos regionais mas poderão ficar reféns dos votos dos independentistas catalães para chegarem à maioria, o que dificultará as negociações para formação do próximo governo e poderá, inclusive, levar à marcação de novas eleições.

PORMENORES
Governo baixa pão
O governo de Pedro Sánchez anunciou esta sexta-feira, último dia da campanha, a descida do IVA de 10% para 4% no preço do pão, numa medida condenada pela oposição como "eleitoralista".

Não haverá boca de urna
Os principais canais de TV espanhóis não vão fazer sondagens à bocas das urnas no domingo, optando antes por divulgar inquéritos realizados nos últimos dias de campanha.

Um terço de indecisos
Mais de 30% dos eleitores espanhóis ainda não decidiram em quem vão votar no domingo.
PP Espanha Partido Popular Valencia Pablo Casado PSOE Vox Cidadãos Esradio Pedro Sánchez Podemos IVA TV
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)