Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Líder talibã condenado a perpétua

Um tribunal paquistanês condenou esta quinta-feira o comandante talibã Mullah Dadullah a uma pena de prisão perpétua pela tentativa de assassinar, em 2004, o clérigo e deputado Maulana Khan Shirani.
29 de Dezembro de 2005 às 12:53
Dadullah, que se crê estar escondido no Afeganistão, foi condenado à revelia por um tribunal de Quetta, sudoeste do Paquistão.
Segundo o advogado de Shirani, o comandante era acusado da tentativa de assassinar em Julho de 2004 o deputado paquistanês, quando este viajava de automóvel na sua circunscrição eleitoral.
Shirani, três colaboradores e o condutor do automóvel escaparam ilesos ao atentado, que ninguém reivindicou.
Shirani é um dirigente político de relevo numa coligação religiosa de seis partidos que assume posições pró-talibãs e se opôs à decisão do presidente paquistanês, Pervez Musharraf, de apoiar a ofensiva norte-americana que conduziu ao afastamento das milícias fundamentalistas afegãs do poder em Cabul, em finais de 2001.
Ver comentários