Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Londres e Madrid reacendem crise

A tensão aumenta no território de Gibraltar, sob administração britânica, que há séculos é motivo de disputa entre Madrid e Londres. Esta semana, dois incidentes com pesqueiros espanhóis motivaram a intervenção da Marinha britânica e da Guardia Civil e os dois governos agendaram já uma reunião.
26 de Maio de 2012 às 01:00
Gibraltar, disputado por Espanha e Inglaterra, foi palco de novos incidentes esta semana
Gibraltar, disputado por Espanha e Inglaterra, foi palco de novos incidentes esta semana FOTO: Jon Nazca/Reuters

O primeiro incidente ocorreu na quarta-feira, quando embarcações da Polícia de Gibraltar cercaram três barcos espanhóis, para os impedirem de pescar. Nessa altura, um navio da Guardia Civil espanhola e um outro da Polícia local chegaram a tocar-se e os barcos de pesca só abandonaram a zona após a chegada de um navio da Marinha britânica. Apoiado por Londres, o governo de Gibraltar condenou o incidente, que qualificou de "provocação orquestrada" . A resposta de Madrid foi célere, denunciando ter havido "intimidações e humilhações".

Na noite seguinte, novo incidente, desta feita com cinco pesqueiros espanhóis. Escoltados pela Guardia Civil, dirigiram-se a águas territoriais de Gibraltar. De imediato, foram travados pelos barcos da Polícia gibraltina e cercados de novo pela Royal Navy. Estes foram os mais graves incidentes desde Março último, quando o governo local anulou um acordo que permitia o acesso de pescadores espanhóis às suas águas territoriais.

Mas o reacender da endémica crise diplomática entre Londres e Madrid surgiu quando a rainha Sofia de Espanha cancelou a presença no almoço do jubileu de Isabel II de Inglaterra, após ter sido anunciada uma visita oficial do príncipe Eduardo a Gibraltar.

A vice-primeira-ministra espanhola, Saenz de Santamaria, anunciou que os MNE dos dois países se reunirão na terça-feira em Londres.

CATALUNHA PEDE AJUDA AO GOVERNO ESPANHOL

A Catalunha vai pedir ajuda financeira ao governo espanhol, uma vez que já não tem capacidade para pagar a dívida. O pedido de ajuda da Catalunha ao governo central deve-se ao facto de a comunidade autonómica estar a ficar sem opções para refinanciar a dívida deste ano, reconheceu ontem o presidente do governo catalão, Artur Mas. A Catalunha representa um quinto da economia do país e tem mais de 13 mil milhões de euros em dívida que terá de refinanciar até ao final do ano.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)