Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

"Saio daqui sem ódio": as primeiras palavras de Lula da Silva após ser libertado da prisão

Tribunal alterou a regra que permitia a prisão de condenados após confirmação da sentença em segunda instância.
Domingos Grilo Serrinha, correspondente no Brasil e Correio da Manhã 8 de Novembro de 2019 às 19:33

O ex-presidente do Brasil, Lula da Silva, já foi libertado da prisão, no Brasil. Esperado por um banho de multidão, Lula sai da cadeia 580 dias depois. "Lula livre", gritam os brasileiros.

"Nunca pensei que pudesse estar aqui no dia de hoje a conversar com vocês", disse Lula à saída da prisão. "O lado podre da política federal, da receita federal, do Ministério Público federal tentaram criminalizar a esquerda brasileira", confessou. 

"Caráter não é algo que a gente compra no bar, mas saio daqui sem ódio", referiu Lula. "Saio com o maior sentimento de gratidão que um ser humano pode ter por outro. Muito obrigado. Serei eternamente grato a vocês e também fiel", confessou.

Lula da Silva, que estava preso desde abril de 2018 a cumprir pena por corrupção, deixou a cadeia pouco depois das 18h35 desta sexta-feira, horário local, 21h35 em Lisboa. Assim que cruzou o portão da sede da Polícia Federal de Curitiba, no sul do Brasil, onde estava preso, Lula fez uma das coisas que mais gosta e tomou um verdadeiro banho de multidão.

Entre gritos de apoio e choro dos militantes e cercado por familiares e líderes do Partido dos Trabalhadores e outras entidades de esquerda, Lula foi ter com apoiantes que durante o ano e meio em que esteve preso ficaram numa extenuante vigília em frente ao prédio, trocando abraços e muita emoção com a multidão.

Todas as regras de segurança foram esquecidas e o antigo presidente simplesmente desapareceu por largos minutos no meio dos populares, não sendo captado nem pelas câmaras das muitas emissoras de televisão que faziam a cobertura do momento.

 Depois, Lula subiu num espaço mais visível para agradecer aos militantes e fazer o seu primeiro discurso em liberdade. Ele afirmou que ninguém conseguiria ter a dimensão do que ele estava a sentir por estar livre e ao lado dos militantes fiéis que ao longo dos mais de 580 dias em que esteve preso gritavam todos os dias de manhã "Bom dia, Lula", e todas as noites "Boa noite, Lula", dando-lhe coragem para enfrentar a prisão.

STF Lula da Silva Brasil Supremo Tribunal Federal política crime lei e justiça leis
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)