Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Lula da Silva recusa liberdade condicional e diz que só sai da cadeia se for considerado inocente

Antigo presidente brasileiro poderia deixar a prisão durante o dia e regressar à cela de noite.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 12 de Agosto de 2019 às 14:29
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva

Contrariando os conselhos de amigos e de aliados, o antigo presidente brasileiro Lula da Silva, condenado pelo então juiz Sérgio Moro em 2017 por corrupção e a cumprir pena desde 07 de Abril de 2018 no sul do Brasil, avisou os seus advogados que não aceitará ser libertado condicionalmente e que só aceitará sair da prisão se for considerado inocente.

Os advogados preparavam-se para solicitar à justiça a passagem de Lula do regime fechado em que atualmente se encontra - e no qual fica confinado na cela permanentemente - para o regime semi-aberto, no qual poderia deixar a prisão durante o dia para trabalhar ou estudar e só voltar para a cela à noite.

Pelas contas dos advogados, Lula passa a ter direito a esse benefício em setembro e já estavam a preparar uma petição nesse sentido. No entanto, o antigo governante não aceita, uma vez que, segundo o que tem confidenciado a amigos que o visitam, se aceitasse esse benefício sairia da cadeia como condenado "beneficiado" pela lei e não como inocente.

Lula mantém a postura de só aceitar sair da cadeia quando (e se) a justiça aceitar um dos seus recursos em que pede a anulação da condenação e a absolvição de todos os crimes de que foi acusado. Os amigos não conseguem convencê-lo de que esse posicionamento é extremamente arriscado uma vez que, para além da pena que já cumpre, de 8 anos e 10 meses, o antigo presidente brasileiro foi condenado em fevereiro passado a outros 12 anos e 11 meses num novo processo também por corrupção, sentença ainda em fase de análise pelo tribunal de apelação, e corre o risco de ter de passar muitos mais anos preso.

O ex-presidente de 73 anos está apaixonado por uma socióloga que o visita regularmente na cadeia e, por isso, parecia estar prestes a aceitar o regime semi-aberto para ter uma qualidade de vida melhor perto da companheira, mas voltou com a sua ideia atrás. Lula não perde as esperanças de retomar os seus sonhos eleitorais, e só se for totalmente ilibado pela justiça retomará a sua elegibilidade, avançou.

Na semana passada, Lula da Silva considerou que estava a ser alvo de mais uma perseguição de Moro e de Jair Bolsonaro, que lhe têm expressado repetida e publicamente ódio, quando uma juíza mandou transferir o antigo chefe de Estado de uma cela especial na sede da Polícia Federal em Curitiba, onde cumpre a pena, para a Penitenciária de Tremembé, prisão no interior de São Paulo que abriga assassinos, ladrões e violadores de casos mediáticos, mas os seus advogados recorreram e o Supremo Tribunal proibiu esse pedido de transferência.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)