Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Lula da Silva transferido para prisão que abriga assassinos e violadores famosos

Advogados de Lula consideram que o correto seria transferi-lo para uma sala de Estado-Maior dentro de um quartel militar.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 7 de Agosto de 2019 às 20:06
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva
Lula da Silva

O ex-presidente brasileiro Lula da Silva, cuja transferência de Curitiba, onde cumpre pena desde 7 de Abril de 2018, foi autorizada esta quarta-feira, vai para uma penitenciária no interior do estado de São Paulo conhecida por abrigar assassinos, ladrões e violadores famosos pela repercussão que os crimes deles tiveram na sociedade. A decisão foi tomada num prazo inusitadamente rápido e deixou os advogados de Lula revoltados.

Poucas horas após a juíza de execução penal de Curitiba, Carolina Lebbos, ter autorizado a transferência de Lula daquela cidade no sul do Brasil para uma prisão em São Paulo, o juiz Paulo Eduardo de Almeida Sorci, coordenador da Vara de Execuções Penais de São Paulo, determinou que o antigo presidente vá para a Penitenciária 2 de Tremembé, conhecida como a "Cadeia dos Famosos".

Outro condenado por corrupção e velho conhecido de Lula, o publicitário Marcos Valério, condenado a 40 anos como operador do escândalo do "Mensalão", quase foi morto naquela prisão de tanto apanhar, e diz ter até hoje marcas no corpo deixadas pela violência sofrida.

Além de Marcos Valério, já transferido para outra cadeia, a Penitenciária 2 de Tremembé, a P2, uma das quatro prisões do complexo prisional construído na cidade, abriga Alexandre Nardoni, condenado por ter atirado a filha de quatro anos, Isabella, pela janela do apartamento onde moravam, o médico geneticista Roger Abdelmassih, condenado a mais de 250 anos por ter violado dezenas de mulheres sedadas durante procedimentos de reprodução assistida, e Gil Rugai, jovem milionário condenado por matar os próprios pais.

Apesar de as autoridades negarem, uma sangrenta fação criminosa dita as regras naquela cadeia, e os reclusos têm de fazer verdadeiros malabarismos para cumprirem tanto o que lhes é determinado pela direção da penitenciária quanto pelos líderes da organização criminosa.

A transferência do antigo presidente foi pedida pelo novo diretor da Polícia Federal de Curitiba, em cuja sede Lula ocupa um conjunto de duas salas, onde a justiça lhe permite receber visitas mesmo fora dos horários e dias normais, e onde possui uma televisão e uma esteira de ginástica.

A polícia alegou estar a gastar muito dinheiro para manter a custódia de Lula, e que também tem de retirar muitos agentes do seu trabalho normal para garantir a segurança do preso famoso e a tranquilidade no edifício e suas cercanias, sempre apinhadas de simpatizantes do antigo governante.

Para os advogados de Lula, porém, a transferência nos moldes em que está a ser definida é mais uma forma de punir o ex-presidente, que a defesa considera estar a ser vítima de "intenso constrangimento ilegal".

Os advogados de Lula consideram que o correto seria transferí-lo para uma sala de Estado-Maior dentro de um quartel militar na Grande São Paulo, atendendo ao facto de ele já ter sido comandante-em-chefe das Forças Armadas, função inerente ao cargo de chefe de Estado
Ver comentários