Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Maduro lança ofensiva contra magistrados na Venezuela

Presidente diz que magistrados nomeados pelo Parlamento serão detidos “um por um”.
Ricardo Ramos 25 de Julho de 2017 às 08:36
Presidente reforça braço de ferro com a oposição a poucos dias das eleições para a Assembleia Constituinte
Nicolás Maduro
Nicolás Maduro
Nicolás Maduro
Nicolás Maduro
Presidente reforça braço de ferro com a oposição a poucos dias das eleições para a Assembleia Constituinte
Nicolás Maduro
Nicolás Maduro
Nicolás Maduro
Nicolás Maduro
Presidente reforça braço de ferro com a oposição a poucos dias das eleições para a Assembleia Constituinte
Nicolás Maduro
Nicolás Maduro
Nicolás Maduro
Nicolás Maduro
O presidente venezuelano Nicolás Maduro garantiu que os 33 juízes nomeados pelo Parlamento para um ‘Supremo Tribunal alternativo’ serão detidos "um por um", endurecendo o braço de ferro com a oposição a poucos dias da eleição da Assembleia Constituinte.

"Essa gente que nomearam, esses usurpadores que andam por aí, serão todos presos, um por um, uns a seguir aos outros. Serão todos presos e os seus bens e contas congelados. Ninguém os vai defender", disse Maduro na TV, domingo à noite, um dia após a detenção do juiz Ángel Zerpa Aponte por agentes da polícia política. Aponte é um dos 33 magistrados nomeados pelo Parlamento, controlado pela oposição, num protesto contra o controlo do poder judicial pelo regime de Maduro.

A oposição denunciou a detenção e as ameaças de Maduro como "uma continuação do golpe de Estado" e anunciou novas medidas de protesto antes das eleições de domingo para a Assembleia Constituinte. Ontem, várias assembleias de voto em Caracas amanheceram cobertas de cartazes e, para amanhã e quinta-feira, foi convocada uma greve geral de 48 horas que promete paralisar o país, acompanhada por novos protestos nas ruas.

PORMENORES
MNE pede acordo político
O ministro português dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, disse ontem que esta será "uma semana muito intensa" na Venezuela e instou "todas as partes" a procurarem "um acordo político".

EUA advertem
A embaixada dos EUA em Caracas aconselhou ontem os diplomatas norte-americanos e as suas famílias a "limitarem a circulação" nas ruas durante a greve geral de quarta e quinta-feira e a "armazenarem comida e água" para 72 horas, advertindo que os protestos podem continuar até domingo.
Ver comentários