Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Mãe obrigava filha a tocar-se e transmitia em direto

Três mulheres foram presas por divulgarem imagens de exploração sexual infantil.
12 de Maio de 2017 às 11:04
Menina
Menina
Menina
Menina
Menina
Menina
Menina
Menina
Menina
Menina
Menina
Menina
As autoridades filipinas resgataram recentemente quatro meninas e prenderam três mulheres, incluindo uma mãe, por alegadamente transmitirem 'online' em direto vídeos de exploração sexual de crianças para homens que pagavam ao minuto, nomeadamente a partir dos EUA.

Três irmãs, com idades de 8, 9 e 12 anos, e outra menina de 11, descoberta numa outra operação de resgate, encontram-se agora num abrigo para crianças vítimas de abusos, enquanto as mulheres vão ser acusadas.

As detenções, levadas a cabo na semana passada, tiveram lugar duas semanas depois de as autoridades terem feito buscas à casa de um norte-americano suspeito de idênticos crimes de cibersexo, indica hoje a agência noticiosa norte-americana Associated Press.

Durante as buscas à casa de Timothy Deakin, de 53 anos, as autoridades resgataram duas meninas, de 10 e 12 anos, que tinham passado algum tempo na casa do homem, e fizeram uma das maiores apreensões de conteúdos digitais ilícitos nas Filipinas.

Dezenas de discos rígidos e vários computadores vão ser agora analisados para encontrar outras potenciais vítimas, bem como compradores.

Deakin negou ter cometido qualquer ato ilegal: "Eles deturparam as coisas de uma forma que parece que eu estava a usar aquelas meninas", disse à AP após a sua detenção em 20 de abril.

A série de detenções e resgates coloca em evidência o rápido crescimento de atividades criminosas envolvendo crianças, e até bebés, as quais são forçadas a tirarem a roupa e a tocarem-se de forma obscena enquanto adultos, muitas vezes os seus próprios pais, filmam em troca de dinheiro de pedófilos no estrangeiro.

A polícia nas Filipinas está a colaborar com as entidades congéneres na Europa, Estados Unidos e Austrália neste âmbito.

A polícia federal dos Estados Unidos e da Austrália forneceram separadamente informações às autoridades filipinas que levaram às detenções de uma mãe e de outras duas mulheres e ao resgate de quatro meninas, no passado dia 05.

As três são suspeitas de terem alegadamente forçado as meninas a envolverem-se em atos sexualmente explícitos enquanto homens assistiam na Austrália e nos Estados Unidos.

As mulheres foram acusadas de tráfico de seres humanos, abuso de crianças, pornografia e crime informático.

Arlyn Torrendon, da polícia filipina, afirmou que fez parte da equipa que resgatou três das crianças e prendeu as três mulheres, incluindo a mãe das irmãs, numa casa na cidade de Bacolod, a mais de 700 quilómetros da capital, Manila.

"As crianças eram inocentes. Elas não tinham sequer consciência de que estavam a ser usadas num crime", afirmou em declarações ao telefone à agência AP a partir de Bacolod, acrescentando que as crianças pertencem a uma família pobre e que eram órfãs de pai.
Ver comentários