Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

“Manipular a religião gera a violência”

O Papa condenou ontem a "manipulação ideológica da religião", criadora de divisões e geradora de violência, num discurso pronunciado na principal mesquita da Jordânia, Hussein bin Talal, em Amã, no âmbito da sua deslocação à Terra Santa.

10 de Maio de 2009 às 00:30
Papa durante a visita à mesquita Hussein Talal, em Amã
Papa durante a visita à mesquita Hussein Talal, em Amã

Foi uma visita especial. Bento XVI não se descalçou nem rezou (ver caixa), mas tornou-se no Papa que mais vezes visitou mesquitas, depois de ter entrado, em 2006, na Mesquita Azul, em Istambul, na Turquia, em plena polémica devido às suas declarações na Universidade de Ratisbona, na Alemanha, onde alegadamente sugeriu uma identificação entre o islamismo e a violência. O seu antecessor, João Paulo II, visitou em 2001 a mesquita de Damasco, na Síria.

O bispo de Roma visitou demoradamente o templo islâmico e discursou perante o corpo diplomático. Admitindo 'a existência de tensões e de divisões entre os membros das diferentes tradições religiosas', o Papa afirmou que 'é muitas vezes a manipulação ideológica da religião, por vezes com objectivos políticos, o verdadeiro catalisador das tensões e das divisões, e por vezes da violência na sociedade'.

No segundo dia da visita à Jordânia, o Sumo Pontífice deslocou-se ao Monte Nebo, onde, segundo as Escrituras, Deus mostrou a Moisés a Terra Prometida. Ali mesmo, Bento XVI apelou à 'reconciliação' entre cristãos e judeus.

NÃO REZOU NEM SE DESCALÇOU

Na sua visita à mesquita em Amã, o Santo Padre não se descalçou, como manda a tradição, nem sequer rezou virado para Meca, como fez em 2007, quando visitou a Mesquita Azul, em Istambul (Turquia). A explicação é simples: as autoridades jordanas conceberam um percurso especial que não o exigia, segundo o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi. Nenhum dos muçulmanos que o acompanhavam durante a visita, entre os quais se encontrava o príncipe Ghazi Bin Talal, primo do rei Abdallah II, tirou os sapatos.

LOCAIS DA VISITA

BAPTISMO DE CRISTO

Bento XVI visitará o local, na margem oriental do Jordão, onde Jesus terá sido baptizado. A localização exacta é incerta, mas o Papa irá ao sítio onde se pensa que João Baptista terá baptizado Cristo.

MONTE DO TEMPLO

O chefe da Igreja Católica desloca-se ainda, em Jerusalém, ao Monte do Templo (também conhecido por Esplanada das Mesquitas), e visita a Cúpula do Rochedo.

SANTO SEPULCRO

Durante a estada em Israel, Bento XVI irá ainda à Basílica do Santo Sepulcro, em Jerusalém, onde a tradição cristã afirma que Jesus Cristo foi sepultado e de onde ressuscitou.

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)