Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Mélenchon não vai anunciar em quem vota na 2.ª volta

Partido anunciou silêncio do candidato, apesar das críticas dos eleitores.
Lusa 26 de Abril de 2017 às 14:18
Candidato às Presidenciais francesas Jean-Luc Mélenchon
O candidato às Presidenciais francesas Jean-Luc Mélenchon
Candidato às Presidenciais francesas Jean-Luc Mélenchon
O candidato às Presidenciais francesas Jean-Luc Mélenchon
Candidato às Presidenciais francesas Jean-Luc Mélenchon
O candidato às Presidenciais francesas Jean-Luc Mélenchon
O dirigente de esquerda Jean-Luc Mélenchon, derrotado na primeira volta das presidenciais francesas, não vai divulgar o seu voto nem pedir aos seus eleitores que apoiem um candidato na segunda volta, anunciou esta quarta-feira o seu porta-voz.

Alexis Corbière anunciou em conferência de imprensa que Mélenchon vai manter o silêncio, apesar das críticas de vários setores, que se multiplicaram em declarações de apoio a Emmanuel Macron (centrista) para evitar uma vitória de Marine Le Pen (extrema-direita) a sete de maio.

"Devemos distinguir uma opção pessoal de uma opção política", disse Corbière, confirmando depois que há opiniões diferentes no seio do movimento que apoia Mélenchon, a "França Insubmissa".

"Os insubmissos", como têm sido designados em França, devem, portanto, decidir votar no candidato independente centrista Macron, votar em branco ou abster-se, mas sempre sob a clara recomendação "nenhum voto para Marine Le Pen", disse o porta-voz.

Mélenchon admitiu no domingo a derrota na primeira volta e anunciou a intenção de consultar os militantes para decidir se apoia Emmanuel Macron.

Segundo os resultados definitivos publicados pelo Ministério do Interior francês, o independente Emmanuel Macron venceu a primeira volta das presidenciais francesas com 24,01% dos votos, à frente da líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, que conseguiu 21,30% dos votos.

O candidato conservador François Fillon, do partido republicano, ficou na terceira posição com 20,01% dos votos, seguido pelo candidato da esquerda radical Jean-Luc Mélenchon com 19,58% dos votos.

Benoît Hamon, candidato do partido socialista francês (no poder), conseguiu pouco menos de 2,3 milhões de votos (6,36%), o valor mais baixo alguma vez registado por um candidato daquela força partidária.
Ver comentários