Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Menina de 14 anos violada pelo irmão diz que pai lhe pedia fotos nua

Menor, que vive com a mãe, foi convidada pelo irmão para dormir na casa dele. Foi depois forçada a manter relações sexuais.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 6 de Agosto de 2022 às 14:46
Polícia Federal brasileira
Polícia Federal brasileira FOTO: Getty Images

Uma menina brasileira de 14 anos, moradora em Anápolis, no estado de Goiás, Brasil, denunciou ter sido violada sexualmente pelo próprio irmão, de 20, e que o pai de ambos a assediou. No relato que fez aos polícias, a adolescente disse que o pai, de 43 anos, lhe pediu para enviar fotos dela só de 'cuequinha' por estar "muito excitado".

A menor, que vive com a mãe, de quem o pai se separou, contou ter sido convidada pelo irmão para dormir na casa dele na quarta-feira passada e que o rapaz a forçou a manter relações sexuais. Ainda de acordo com a denúncia feita um dia depois, quinta-feira passada às autoridades brasileiras, o pai, ao saber do crime sexual de que ela fora vítima, ao invés de tomar alguma atitude que a confortasse ou de punição ao filho, surpreendeu-a pedindo que ela lhe enviasse fotos nua ou só de cuecas.

Nas mensagens de telemóvel trocadas entre ambos, que já estão na posse da polícia, que ainda não prendeu ninguém alegando não haver provas suficientes e que é a palavra da adolescente contra a do irmão e a do pai, o homem insiste com a menina, a quem chama sempre de "meu amor", para ver fotos dela nua. O pai faz ainda um "apelo", para ela o ajudar a satisfazer-se olhando a foto dela, pois está com muita excitação.

Chamado a depôr, o irmão da adolescente confirmou a relação sexual mas alegou que o ato foi consentido e até desejado pela irmã, o que esta nega. Antes das perguntas da imprensa sobre a razão de ainda não ter sido tomada uma atitude severa contra os dois agressores, a polícia alegou estar a tentar recolher mais elementos para poder pedir uma medida cautelar que proteja a menina e a prisão do pai e do irmão.

Brasil Anápolis questões sociais tribunal crime lei e justiça
Ver comentários
}