Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Menino-guerrilheiro entrega-se à Junta

Um menino soldado de Myanmar (antiga Birmânia), comandante do pequeno grupo guerrilheiro cristão ‘Exército de Deus’, entregou-se à Junta Militar que governa o país. Johnny Htoo, que tinha apenas 12 anos quando o seu grupo fez centenas de reféns num hospital tailandês, no ano 2000, trouxe consigo no acto de rendição nove outros guerrilheiros e um conjunto de armas de guerra.
27 de Julho de 2006 às 00:00
Johnny Htoo (à esq.) e o irmão gémeo, Luther
Johnny Htoo (à esq.) e o irmão gémeo, Luther FOTO: Sukree Sukplang, Reuters
O jornal que veiculou a notícia, o ‘Myanma Ahlin’, próximo da Junta Militar, nada diz sobre o paradeiro do irmão gémeo de Johnny, Luther, vice-comandante dos guerrilheiros.
O ‘Exército de Deus’ foi formado em 1997 por dissidentes da ‘União Nacional Karen’, criada por elementos deste grupo étnico da região entre Tailândia e Myanmar. A luta dos Karen pela independência remonta ao fim do domínio britânico, em 1948.
Johnny e Luther comandavam um grupo de 200 homens, que os veneravam como divindades e acreditavam que eles eram imunes a balas e a minas. Tinham vícios de adultos – eram fumadores inveterados – e eram acusados de ser particularmente cruéis.
Johnny e Luther entregaram-se à Polícia em 2001 e, apesar de cinco soldados terem morrido durante a libertação do hospital, não foram acusados. Nos últimos anos viveram num campo de refugiados junto da fronteira. O jornal sugere que último gesto de Johnny revela a sua vontade de se demarcar da guerrilha e voltar a viver em paz com a família.
Ver comentários