Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Milhares na homenagem a polícia morto por 'jihadista'

Duplo homicídio foi reivindicado pelo grupo Daesh.
19 de Junho de 2016 às 19:01
Segundo a polícia, cerca de 2.500 pessoas participaram na manifestação, mas os organizadores falam em 4.000 a 5.000 participantes
Segundo a polícia, cerca de 2.500 pessoas participaram na manifestação, mas os organizadores falam em 4.000 a 5.000 participantes FOTO: YOAN VALAT/EPA
Milhares de pessoas marcharam este domingo, em Paris, numa iniciativa organizada por associações muçulmanas, para homenagear o polícia e a mulher, assassinados no passado dia 13, por um 'jihadista'.

Segundo a polícia, cerca de 2.500 pessoas participaram na manifestação, que decorreu ao início da tarde em Mantes-la-Jolie, noroeste de Paris, mas os organizadores da marcha afirmam a iniciativa teve de 4.000 a 5.000 participantes.

"Estamos mobilizados contra a barbárie!", dizia o cartaz exibido à cabeça da marcha, que terminou na esquadra onde trabalhava o polícia assassinado.

O presidente da mesquita de Mantes-la-Ville, Abdelaziz El Jaouhari, considerou o crime "absurdo", sublinhando que "as políticas por si só não têm solução", devendo o problema ser resolvido em conjunto e a comunidade muçulmana deve ser envolvida.

Junto à esquadra da polícia, um grupo de muçulmanos depositou uma coroa de flores, seguindo-se um minuto de silêncio e aplausos ao polícia morto.

Também no sábado, milhares de pessoas participaram numa manifestação silenciosa, em Mantes-la-Jolie, em homenagem ao polícia e à sua mulher, assassinados a 13 de junho, na sua casa em Magnanville, perto de Mantes, por um 'jihadista', que acabou por ser morto pela unidade de elite da polícia francesa.

O duplo homicídio foi reivindicado pelo grupo extremista do Daesh.

O suposto autor do duplo homicídio, identificado como Larossi Abballa, tinha 25 anos e foi condenado em 2013 por participar numa fileira 'jihadista', entre a França e o Paquistão.
Paris política crime lei e justiça polícia
Ver comentários