Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Ministro alemão diz que troika está a perder paciência para Grécia

O ministro da Economia alemão, Philipp Rösler, afirmou esta sexta-feira que a paciência da 'troika' em relação à Grécia tem limites e mostrou-se céptico no que se refere ao cumprimento do memorando de entendimento por parte de Atenas.
13 de Julho de 2012 às 10:03
O ministro da Economia português, Álvaro Santos Pereira, com o homólogo alemão
O ministro da Economia português, Álvaro Santos Pereira, com o homólogo alemão FOTO: EPA

"Tenho a impressão de que a paciência da 'troika' está a acabar e, quanto à capacidade da Grécia para reformar a sua economia, estou céptico, pelo menos, depois da experiência que fizemos", disse Rösler, que é também vice-chanceler, à emissora pública de rádio Deutschlandfunk.

As declarações do político liberal surgem no mesmo dia em que o matutino alemão Rheinische Post noticiou que o Governo grego só cumpriu 90 dos 300 compromissos assumidos com a 'troika' (Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI).

A imprensa alemã diz hoje também que a chanceler Angela Merkel considerou, em reunião com altos responsáveis da coligação de centro-direita, "totalmente inaceitável" a exigência do novo Governo de Atenas para prorrogar por dois anos o programa negociado com a 'Troika' para obter o último resgate de 130 mil milhões de euros.

Alexander Dobrindt, secretário-geral dos democratas cristãos da CSU, partido irmão da CDU de Merkel, foi mais longe, exigindo, em declarações ao Rheinische Post, a "rápida saída" da Grécia do euro.

"De dia para dia, torna-se mais claro que a Grécia só tem hipóteses se sair do euro", disse Dobrindt.

O responsável da CSU propôs, no entanto, que Atenas se mantenha na União Europeia depois de renunciar à moeda única e que haja depois uma espécie de Plano Marshall europeu para reconstruir a economia helénica.

O Plano Marshall foi o programa dos Estados Unidos da América para promover a reconstrução dos países europeus após a II Guerra Mundial e deve o seu nome ao então Secretário de Estado norte-americano, George Marshall.

A terceira fase do plano da CSU contempla o regresso da Grécia ao euro, depois de sanear as suas finanças públicas.

Troika austeridade ajustamento resgate crise Grécia Alemanha
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)