Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Ministro russo acha "selvagem" que Trump Jr seja acusado de receber informação de Moscovo

Sergei Lavrov diz não haver factos que provem interferência russa nas eleições americanas.
12 de Julho de 2017 às 14:16
Sergei Lavrov, Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia
Donald Trump com o filho mais velho, conhecido como Trump Jr.
Donald Trump
Donald Trump Jr.
Donald Trump Jr.
Sergei Lavrov, Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia
Donald Trump com o filho mais velho, conhecido como Trump Jr.
Donald Trump
Donald Trump Jr.
Donald Trump Jr.
Sergei Lavrov, Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia
Donald Trump com o filho mais velho, conhecido como Trump Jr.
Donald Trump
Donald Trump Jr.
Donald Trump Jr.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov, disse esta quarta-feira que é absurdo que o filho mais velho do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, seja sido acusado por causa do encontro com um advogada russa, acerca do qual os emails trocados sugeriram que poderia ter informações prejudiciais sobre Hillary Clinton.

Respondendo às acusações de intromissão russa nas eleições dos EUA em 2016, Lavrov pede que seja apontado "pelo menos um fato", que prove que Moscovo tentou interferir no processo democrático.

"Verifico com surpresa que uma advogada russa, uma mulher, seja apontada como culpada e que o filho de Trump seja culpado por causa de uma reunião. Para mim, isso é selvagem", disse Lavrov numa conferência de imprensa em Bruxelas.

"Quando alguém fala com um advogado, que problema ou ameaça poderiá existir? Não sabia que isso podia acontecer, aprendi na televisão", acrescenta Lavrov.

Os emails divulgados por Donald Trump Jr. na terça-feira são vistos pelos críticos de Trump como a prova mais concreta de que a campanha de Trump recebeu ajuda russa para ganhar as eleições.

Mas Lavrov rejeita o interesse dos media nos mails de Trump Junior: "É incrível que pessoas sérias estejam a tantar fazer uma montanha de um monte de um buraco de toupeira".

Ver comentários