Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Ministro sob fogo

O MLSTP-PSD, segundo partido mais votado nas eleições legislativas em São Tomé e Príncipe, e ainda no poder, exigiu ontem a “imediata” demissão do ministro da Defesa, Óscar de Sousa, “por ter comandado uma invasão militar às instalações dos tribunais em plena contagem de votos”.
16 de Abril de 2006 às 00:00
A reacção do Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe - Partido Social Democrata foi expressa depois da intervenção dos militares e forças policiais no Supremo Tribunal de Justiça, sob comando do ministro da Defesa, Óscar Sousa.
A Acção Democrática Independente, terceira força mais votada nas legislativas do passado dia 26 de Março, condenou igualmente a atitude do ministro que “constituiu uma flagrante violação das suas competências”. Por seu lado, o antigo chefe de Estado, Miguel Trovoada, sente que “a democracia está ameaçada e alerta a comunidade internacional para seguir mais de perto os problemas do país”. O Sindicatos dos Magistrados condenou também a atitude do ministro. A Presidência da República explicou que a presença da guarda presidencial “deve-se ao facto do tribunal estar próximo do Palácio do Povo”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)