Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Ministros da Saúde da UE em reunião extraordinária dia 13 de fevereiro devido ao coronavírus

Conselho vai para discutir a evolução do vírus chinês, que já infetou 26 pessoas no espaço comunitário.
Lusa 7 de Fevereiro de 2020 às 18:27
Coronavírus
Coronavírus FOTO: Getty Images
Os ministros da Saúde da União Europeia (UE) vão reunir-se num conselho extraordinário, na próxima quinta-feira, para discutir a evolução do coronavírus chinês, que já infetou 26 pessoas no espaço comunitário, foi esta sexta-feira anunciado.

Fonte europeia disse à agência Lusa que em causa está um encontro extraordinário ao nível do Conselho de Emprego, Política Social, Saúde e Consumidores (EPSCO), que se realiza na quinta-feira de manhã, na capital belga, Bruxelas.

Entretanto, o Conselho da UE informou sobre esta reunião em comunicado, precisando que "os ministros da Saúde trocarão pontos de vista e adotarão conclusões sobre o surto do novo coronavírus".

Portugal deverá ser representado na ocasião pela ministra da Saúde, Marta Temido.

Dados do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças, consultados esta sexta-feira pela Lusa, indicam que, até ao momento, já foram registados 26 casos na UE, a maioria dos quais importados da China.

Em causa estão 13 casos na Alemanha (dois importados, 11 adquiridos localmente), seis casos em França (cinco importados, um adquirido localmente), três casos em Itália (todos importados), um caso na Bélgica (importado), um caso na Finlândia (importado), um caso em Espanha (importado) e um caso na Suécia (importado).

Estes casos na UE foram detetados entre o dia 25 de janeiro e esta sexta-feira.

A estes acrescem três casos no Reino Unido (três importados), país que entretanto deixou de pertencer à UE, mas ainda consta dos dados deste organismo de saúde europeu.

Ao todo, de acordo com Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças, 31.503 pessoas foram infetadas com o novo coronavírus em todo o mundo, tendo-se já registado 638 mortes.

O novo coronavírus (2019-nCoV) foi detetado em dezembro passado, em Wuhan, capital da província de Hubei (centro), localidade entretanto colocada sob quarentena.

A primeira pessoa a morrer por causa do novo coronavírus fora da China foi um cidadão chinês nas Filipinas.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há outros casos de infeção confirmados em mais de 20 países. Na Europa, o número de casos confirmados chegou quinta-feira a 31, com novas infeções detetadas no Reino Unido, Alemanha e Itália.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou em 30 de janeiro uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional, o que pressupõe a adoção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)