Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Minneapolis aguarda decisão sobre julgamento do polícia Derek Chauvin, acusado de matar George Floyd

Mais de mil polícias e 3 mil militares da Guarda Nacional mobilizados perante receio de violência.
Ricardo Ramos 20 de Abril de 2021 às 01:30
George Floyd
Militares da Guarda Nacional patrulham as ruas de Minneapolis na reta final do julgamento
Polícia investiga motivos do ataque a Floyd
George Floyd
Militares da Guarda Nacional patrulham as ruas de Minneapolis na reta final do julgamento
Polícia investiga motivos do ataque a Floyd
George Floyd
Militares da Guarda Nacional patrulham as ruas de Minneapolis na reta final do julgamento
Polícia investiga motivos do ataque a Floyd
Por entre medidas apertadas de segurança, a cidade de Minneapolis aguarda com apreensão e receio o desfecho iminente do julgamento do polícia Derek Chauvin, acusado de matar o afro-americano George Floyd em maio do ano passado, asfixiando-o com um joelho no pescoço, imagens que correram o mundo.

Os 12 jurados estão desde segunda-feira fechados num hotel para decidir se Chauvin é culpado ou inocente dos três crimes de que é acusado, incluindo homicídio em segundo grau, que pode incorrer numa pena de até 40 anos. Na última sessão do julgamento, o juiz Peter Cahill avisou os jurados de que, apesar das eventuais repercussões da sua decisão, o que está em causa “é a culpa de um só homem”.

Já a acusação frisou nas alegações finais que os jurados devem “acreditar nos seus olhos”, referindo-se ao vídeo que mostra Chauvin a pressionar o pescoço de Floyd com o joelho durante mais de nove minutos, inúmeras vezes repetido ao longo do julgamento. “Usem o vosso senso comum. Vocês viram aquilo que viram”, afirmou o procurador Steve Schleicher.

Mais de mil polícias e 3 mil militares da Guarda Nacional foram mobilizados para reforçar a segurança na cidade antes do veredicto. O tribunal foi isolado com blindados e arame farpado e a maior parte do comércio fechou com medo da violência.

Cinco pessoas foram esta segunda-feira de madrugada feridas a tiro em Shreveport, Louisana, no terceiro tiroteio com múltiplas vítimas nos EUA em menos de 24 horas.

Segundo a polícia, desconhecidos abriram fogo a partir de um veículo contra um grupo de pessoas que se encontrava à porta de um bar, por motivos ainda não apurados.

Horas antes, três pessoas tinham sido mortas a tiro por um ex-polícia em Atlanta e outras três pessoas morreram e duas ficaram feridas num tiroteio em Kenosha, Wisconsin.
Derek Chauvin Minneapolis George Floyd crime lei e justiça crime homicídio questões sociais
Ver comentários