Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Morreu marinheiro lusodescendente da fotografia icónica do beijo em Times Square

George Mendonsa foi fotografado por Alfred Eisenstaedt, numa imagem que se tornou um dos símbolos do fim da II Guerra Mundial.
18 de Fevereiro de 2019 às 22:46
Fotografia icónica do beijo em Times Square
George Mendonsa com a fotografia icónica
George Mendonsa guardava a imagem na sua casa
Fotografia icónica do beijo em Times Square
George Mendonsa com a fotografia icónica
George Mendonsa guardava a imagem na sua casa
Fotografia icónica do beijo em Times Square
George Mendonsa com a fotografia icónica
George Mendonsa guardava a imagem na sua casa

Foi no passado domingo que o marinheiro mais famoso da Segunda Guerra Mundial morreu. George Mendonsa, o militar que aparece na fotografia a beijar uma enfermeira depois de ter sido anunciado o fim do conflito, foi um dos protagonistas da famosa imagem, captada pelo fotojornalista Alfred Eisenstaedt para a revista Life em 1945.

Mendonsa, um lusodescente, nasceu em Newport, Rhode Island, numa família piscatória portuguesa. Em vez de seguir o negócio da família, em 1942 juntou-se à marinha norte-americana, servindo no Pacífico durante três anos. Em 1945, finda a guerra, regressou a casa.

"Portanto, cheguei a Times Square, a guerra tinha acabado e eu vejo a enfermeira", relembrou à CNN. "Tinha bebido um bocado e foi algo instintivo", explicou George sobre as circunstâncias do momento, acrescentando que estava num encontro com Rita, com quem viria a casar-se, quando foram interrompidos por gritos eufóricos na rua. Com a vitória sobre o Japão a ser declarada, Mendonsa decidiu beijar a mulher que estava mais próxima dele, enquanto os norte-americanos esperavam que o presidente Harry Truman fizesse o discurso de vitória.

A sua futura mulher viu assim o marinheiro a dar um beijo a uma desconhecida, mas admitiu que não ficou chateada. "Eu estava lá ao fundo, a sorrir como uma tonta. Não me importei", disse.

A enfermeira, que era na verdade uma assistente dentária, também recordou o episódio caricato: "De repente, um marinheiro agarrou-me. Não foi tanto um beijo, foi mais um ato de celebração: ele não tinha de voltar para o Pacífico, onde tinha combatido. Agarrou-me porque eu estava vestida de enfermeira e estava agradecido a todas as enfermeiras. Não foi uma coisa romântica mas uma forma de dizer: 'Graças a Deus a guerra terminou'", contou a  Greta Zimmer Friedman que morreu em setembro de 2016.

O famoso momento intitulado "V-J Day in Times Square" não passou disso mesmo: Mendonsa e Zimmer Friedman não trocaram nomes e nunca mais falaram até se voltarem a encontrar em Times Square, em Nova Iorque, EUA, em 2012 – 67 anos depois do momento capturado pelo fotojornalista.

Curiosamente, o marinheiro demorou 35 anos a descobrir que tinha sido fotografado por Eisenstaedt. A identidade do primeiro também foi um assunto controverso até ser feita em 2012 uma investigação que provou que era Mendonsa quem aparecia na imagem icónica que expressou a surpresa e alívio dos cidadãos pelo fim da guerra.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)