Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Mulher descobre síndrome que a impede de comer até ao fim da sua vida

Britânica de 30 anos está ligada a tubos 22 horas por dia. O simples ato de beber um gole de água causa-lhe dores agoniantes.
Correio da Manhã 27 de Novembro de 2019 às 09:56
Mulher descobre síndrome que a impede de comer até ao fim da sua vida
Mulher descobre síndrome que a impede de comer até ao fim da sua vida
Mulher descobre síndrome que a impede de comer até ao fim da sua vida
Mulher descobre síndrome que a impede de comer até ao fim da sua vida
Mulher descobre síndrome que a impede de comer até ao fim da sua vida
Mulher descobre síndrome que a impede de comer até ao fim da sua vida
Mulher descobre síndrome que a impede de comer até ao fim da sua vida
Mulher descobre síndrome que a impede de comer até ao fim da sua vida
Mulher descobre síndrome que a impede de comer até ao fim da sua vida
Jemma Levy, de 30 anos, sofre de um síndrome raro que a impedirá de comer de forma natural para o resto da vida, obrigando-a a estar dependente de tubos para se alimentar.

A jovem, natural de Londres, no Reino Unido, é portadora do síndrome de Ehlers-Danlos, uma condição que lhe provoca uma dor agoniante sempre que tenta ingerir algo, até mesmo um simples copo de água.

Jemma foi informada de que a sua doença é crónica e que não há nenhum tratamento que possa ajudá-la a melhorar a sua qualidade de vida. O marido, Alex, de 31 anos, tornou-se o seu cuidador.

"O meu marido nunca se queixou. Ele tornou-se no meu cuidador e ajuda-me muito todos os dias (...) Passo a vida em hospitais, a fazer cirurgias, entre consultórios médicos e no meu sofá. Passo 22 horas do meu dia ligada a uma máquina e o meu sistema digestivo está paralisado. Vomito constantemente, mesmo que o meu estômago esteja vazio", explicou a jovem aos meios de comunicação britânicos.

Tudo começou quando aos 12 anos, Jemma se apercebeu que a sua digestão não era feita de forma correta. Para além disso, a jovem sofria de problemas nas articulação ao nível dos ombros e das costas.

Depois de anos e anos de fisioterapia, operações e consultas médicas, a britânica continuava sem saber o que tinha. Foi forçada a desistir da Universidade devido às fortes dores que sentia. Mas mais tarde, acabou por se conseguir licenciar em psicologia.

Só recentemente é que Jemma descobriu a razão pela qual está constantemente a sentir-se indisposta e doente.
Jemma Levy saúde doente doenças assistência prolongada
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)