Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Mulher desiste das compras e caça a própria comida

Caçadora acredita que o que faz é mais humano do que comer animais que vivam em quintas industriais.
30 de Julho de 2017 às 17:08
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
A caçadora publica as refeições no Facebook
A caçadora publica as refeições no Facebook
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
A caçadora publica as refeições no Facebook
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
A caçadora publica as refeições no Facebook
A caçadora publica as refeições no Facebook
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
A caçadora publica as refeições no Facebook
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
A caçadora publica as refeições no Facebook
A caçadora publica as refeições no Facebook
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
A caçadora publica as refeições no Facebook
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana
Lisa considera a caça uma atividade ética e humana

Lisa Taylor, mãe solteira, de Surrey, no sudeste de Inglaterra, deixou de comprar comida no supermercado porque decidiu começar a caçar animais selvagens.

A mulher publicou fotografias onde agarra os chifres dos animais que mata, parecendo estar a vangloriar-se das refeições que acabara de conseguir. Numa das fotografias, Lisa segura um porco selvagem que acabara de matar.

Outras fotografias mostram a caçadora com veados, raposas e galinhas.

Depois de caçar os animais, Lisa cozinha a carne e publica algumas refeições na sua página de Facebook, que já atraiu mais de 15 mil seguidores.

Numa das publicações, Lisa afirma ser "uma mulher que caça e cozinha". "Esta é a minha maneira de comprar carne", diz.

Numa imagem, Elisa detalhou o que acabara de caçar. "Isto era um veado que matei em abril de 2015. Era bastante magro e fazia parte do plano de abate".

"Não posso acreditar que a temporada de cabritos está a voltar tão rápido. Espero que tenhamos um rebanho saudável e forte de veados", acrescentou. 

A mãe, que gerencia um parque de veados, acredita que o que faz é mais humano e ético do que comer animais que vivam em quintas industriais.

Algumas das suas publicações têm causado grande descontentamento nas redes sociais. Criticando a sua decisão de matar animais selvagens, uma pessoa chamou-a de "pessoa nociva". Outras pediram-lhe para "deixar as pobres raposas em paz".

Contudo, outras pessoas publicaram comentários positivos e de apoio.

Elisa Allen, diretora da PETA, disse ao Daily Mail que "há uma palavra para uma pessoa que tem o prazer de matar".

"Enquanto esta mulher está claramente desesperada por atenção, tira vidas de animais que não desejavam mais nada para além de uma existência pacífica", continua.

"As pessoas não deviam admirar pequenos indivíduos que agridem os outros para se sentirem grandes", conclui.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)