Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Mulher processa Easyjet por ser obrigada a trocar de lugar duas vezes

Homens do judaísmo ultraortodoxo recusaram-se a sentar ao lado da mulher.
Correio da Manhã 26 de Agosto de 2020 às 14:24
Avião da Easyjet.
Avião da Easyjet. FOTO: Direitos Reservados

Uma mulher britânico-israelita processou a Easyjet depois dos funcionários da companhia a terem obrigado a trocar de lugar, em dois voos diferentes, por haver passageiros do sexo masculino que se recusaram sentar ao lado de uma mulher. 

Melanie Wolfson, de 38 anos, vive em Israel e alega que, num voo em outubro de 2019 de Israel para Londres, a equipa da companhia aérea terá exigido que trocasse de lugar porque um homem do judaísmo ultraortodoxo, Haredi, não se sentaria ao lado dela, por ser uma mulher. Passado dois meses a situação repetiu-se.

Melanie diz ter sido subornada por um membro da tripulação, que lhe ofereceu uma bebida para a convencer a aceitar a troca, sentiu-se discriminada. A mulher revela que "não teria nenhum problema em trocar de lugar se fosse para permitir que membros de uma família ou amigos se sentassem juntos, mas eu fui convidada a trocar de lugar porque sou uma mulher e por isso eu não posso aceitar".

Melanie avançou com um processo judicial após ter apresentado queixa dos dois incidentes e não ter obtido uma resposta por parte da empresa.

Apesar de ainda não ter recebido nenhuma resposta, funcionários da companhia disseram a Melanie que era comum pedir às mulheres que trocassem de lugares com homens Haredi.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)