Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Musharraf nega falha na segurança

O presidente paquistanês, Pervez Musharraf, afirmou ontem, em conferência de imprensa, que não houve falha na segurança quando Benazir Bhutto foi atacada e insinuou que a ex-primeira-ministra foi em parte responsável pelo sucedido.
4 de Janeiro de 2008 às 00:00
“Quem é que é responsável por ela ter saído do veículo?”, questionou o presidente, sublinhando que outras pessoas no veículo não ficaram feridas. Musharraf revelou que Bhutto pôde escolher o responsável da polícia encarregado da segurança, tinha quatro veículos com 30 agentes atribuídos e mais mil polícias destacados para a sua segurança em Rawalpindi, onde foi assassinada, a 27 de Dezembro último, quando saudava apoiantes no final de um comício. O presidente revelou ainda que era da responsabilidade da direcção do partido de Bhutto evitar que os apoiantes se aproximassem em grande número do veículo. Mas Musharraf admitiu não estar satisfeito com as investigações à morte da sua rival, líder do Partido do Povo do Paquistão (PPP).
Ontem foi revelado novo vídeo com imagens dos últimos minutos de vida da ex-primeira-ministra, nas quais se vê Bhutto acenando à multidão e logo de seguida o seu desaparecimento da imagem, no que se supõe ter sido o momento em que, devido ao impacto da explosão, a líder oposicionista cai e bate com a cabeça no fecho metálico do tejadilho.
Ver comentários