Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

"Não queremos que saiam": Talibãs asseguram que não há perigo para o povo afegão

Grupo promete direitos para as mulheres que cumpram a lei islâmica.
Marta Ferreira e Marta Quaresma Ferreira(martaferreira@cmjornal.pt) 17 de Agosto de 2021 às 16:12
Talibãs em Cabul
Talibãs em Cabul FOTO: LUSA/EPA

Os talibãs realizaram esta terça-feira a primeira conferência de imprensa desde que tomaram o controlo do Afeganistão.

Zabihullah Mujahid, porta voz do grupo, revelou que este é "um momento de orgulho para toda a nação".

Mujahid afirmou que o grupo no poder quer garantir que o Afeganistão não é mais "um campo de batalha".

"Perdoámos todos aqueles que lutaram contra nós. As animosidades chegaram ao fim", garantiu, afirmando que não querem nenhum "inimigo interno ou externo".

Talibãs querem mulheres no Governo
O grupo apelou esta terça-feira para que as mulheres façam parte do Governo. "As nossas irmãs vão permanecer seguras", assegurou, acrescentando: "podem trabalhar, podem ter educação e vão estar ativamente envolvidas".

O grupo promete direitos para as mulheres desde que cumpram a lei islâmica. 

"É uma mudança positiva"
O porta-voz dos talibãs garantiu que o Afeganistão quer que os países estrangeiros trabalhem na sua economia, de forma a melhorar a mesma. "É uma mudança positiva", frisou, recordando que os afegãos querem uma vida melhor.

Islão no Afeganistão
"Quero assegurar que todos os meios de comunicação que trabalharem de acordo com a sharia poderão trabalhar", afirmou. No entanto, alertou: "precisam de saber que o islão no Afeganistão é muito importante", rematando que "se não respeitarem não serão permitidos".

"Não queremos que os afegãos saiam"
Zabihullah Mujahid garantiu que o grupo não quer que o povo afegão abandone o país depois do caos verificado no aeroporto de Cabul com a tentativa de fuga de milhares de pessoas da capital.

"Ninguém vai atrás deles", assegurou, acrescentando que "não existe perigo para eles [afegãos]", uma vez que foi garantida a amnistia para todos.

"Durante a guerra durante a luta não tivemos opção. Esta situação estava fora das nossas mãos, pedimos desculpa pelas pessoas que perdemos, foi por causa da guerra, há mortes nas guerras, há perdas nas guerras", frisou.

O porta-voz afirmou ainda que têm de "controlar as pessoas que tentam criar caos", dando ainda garantias de que o Daesh "não vai magoar ninguém". "Estamos a tentar criar segurança", acrescentou.

Formação de Governo
"Prometo que muito brevemente vão ter um governo e uma lei. Deixem que o governo seja formado, as leis, para que seja explicado o que será ou não permitido", revelou no final da conferência de imprensa.

Governo Afeganistão Zabihullah Mujahid distúrbios guerras e conflitos terrorismo política diplomacia
Ver comentários