Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Novos tiroteios no centro de Bissau

A directoria de campanha de Malam Bacai Sanhá, candidato derrotado nas presidenciais da Guiné-Bissau, revelou que se registaram ontem tiroteios na zona da Praça dos Heróis Nacionais, e uma tentativa de assalto à sede da Comissão Nacional de Eleições (CNE) na capital guineense.
1 de Agosto de 2005 às 00:00
As últimas informações indiciam que poderá haver mais uma nova crise política e miltar na Guiné-Bissau
As últimas informações indiciam que poderá haver mais uma nova crise política e miltar na Guiné-Bissau FOTO: Manuel de Almeida/Epa
Em declarações ao CM, Desejado Lima da Costa, porta-voz da candidatura de Sanhá, afirmou que estas acções indiciam a preparação de um “golpe de Estado para confirmar os resultados provisórios da votação e detenção do primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior e de Bacai Sanhá se este não aceitar os resultados”.
“Há um golpe de Estado atípico praticamente na Guiné-Bissau. Os militares controlam tudo, o governo perdeu autoridade de Estado. ‘Nino’ Vieira e o seu ‘staff’ circulam com uma forte protecção militar, uma autêntica desobediência ao governo porque esta escolta funciona como segurança privada de ‘Nino’, enquanto Malam Bacai Sanhá está completamente desprotegido”, acrescentou.
Para Lima da Costa, “se não houver consenso à base de diálogo entre ‘Nino’ e Sanhá o país vai uma vez mais descarrilar. A situação está muito confusa. ‘Nino’ fez uma aliança com Kumba Ialá, que detém uma parte importante de militares que estão agora a apoiá-lo. O primeiro-ministro está de mãos atadas”, concluiu. À hora de fecho desta edição, o governo não se tinha pronunciado sobre os tiroteios.
A CNE reúne-se hoje para analisar o pedido do PAIGC de repetição das eleições em Bissau, Biombo e Bafatá.
Ver comentários