Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Número de mortos após ciclone Fani na Índia sobe para 33. Centenas de milhares de pessoas desalojadas

Cerca de um milhão de pessoas conseguiram escapar depois de se mudarem para um abrigo antes da chegada da tempestade.
5 de Maio de 2019 às 12:49
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Ciclone Fani deixa rasto de destuição na Índia e Bangladesh
Centenas de milhares de pessoas ficaram desabrigadas depois de o ciclone Fani ter atingido o leste da Índia, deixando um rasto de destruição.

Pelo menos 33 pessoas morrem após o ciclone ter atingido o estado de Odisha na sexta-feira.

Cerca de um milhão de pessoas conseguiram escapar depois de se mudarem para um abrigo antes da chegada da tempestade.

As autoridades referem que o número de mortos poderia ter sido muito maior se não tivesse sido feita uma evacuação em massa nos dias que antecederam a tempestade.

A cidade de Puri, que fica a caminho de Fani, sofreu grandes danos quando os ventos de até 200 km/h arrancaram telhados, partiram postos de energia e arrancaram árvores na sexta-feira.

"O ciclone matou 21 pessoas em Puri e cerca de 300 pessoas ficaram feridas", disse Brajabandhu Dash, médico da Puri, à Reuters. Outras 12 mortes foram relatadas noutras partes do estado.

A depressão em relação ao oeste de Meghalaya e adjacente a Bangladesh enfraqueceu e tornará-se-á insignificante nas próximas 24 horas, informou o departamento da Índia no Twitter este domingo.

De acordo com relatórios preliminares, o ciclone Fani danificou a infra-estrutura de energia no valor de mais 154 milhões de euros. As autoridades estão a tentar reestabelecer o fornecimento de eletricidade para serviços de emergência, disse outra autoridade.

Mais de 60 mil pessoas, entre funcionários e voluntários, participaram nas operações de socorro, disse o comissário de ajuda especial Bishnupada Sethi, que orientou a evacuação.

O ciclone Fani, que chegou na sexta feira ao leste Índia, é considerado pelas autoridades como a pior tempestade das últimas duas décadas a atingir aquela região do sul da Ásia.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)