Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

“Nunca vimos nada igual”

Milhares de pessoas estavam ontem em debandada de Brisbane, capital do estado australiano de Queensland, flagelado pelas piores inundações dos últimos 120 anos. Com o nível das águas dos rios a subir e a inundar o centro da cidade, as populações preparam-se para o pior. Pelo menos 23 mortos, 90 desaparecidos e cerca de 200 mil afectados são para já os números dramáticos da catástrofe na região, onde vivem dois mil portugueses.
13 de Janeiro de 2011 às 00:30
As cheias das últimas três semanas são as piores dos últimos 120 anos
As cheias das últimas três semanas são as piores dos últimos 120 anos FOTO: Dave Hunt/Epa

José Teixeira, lisboeta casado com uma madeirense, a residir há 12 anos naquele estado, diz que nunca viu nada igual: "A situação piorou desde segunda-feira. Há cidades completamente inundadas e as principiais barragens estão a transbordar."

As inundações, que abrangem uma área igual à da França e da Alemanha, provocaram já prejuízos na ordem das dezenas de milhões de euros, e o pior ainda está para vir.

O rio Brisbane transbordou e a água invadiu ruas, arrastou viaturas e obrigou os habitantes a refugiarem-se em abrigos, telhados e árvores.

Quem ainda tem casa, barrica-se nela e armazena produtos básicos, como pão e leite: "As pessoas correram para os supermercados e esgotaram tudo", revelou uma portuguesa a residir em Brisbane. Segundo o cônsul português na cidade, João Velosa, "não há registo de portugueses em apuros".

AUSTRÁLIA CHEIAS PORTUGUESES RIO BRISBANE QUEENSLAND
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)