Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

O desejo da casa sobre as rochas

“Aqui começou tudo. E isto tem um nome, um apelido e um rosto – Karol Wojtyla. E a prova da continuação deste projecto de fé é a presença de Bento XVI neste local”. Foi com estas palavras que o cardeal Stanislaw Dziwisz, ex-secretário de João Paulo II, brindou a presença do Papa nos lugares mais importantes da vida de Karol Wojtyla: Wadowice, a terra natal, o santuário de Kalwaria, onde se deslocava com o pai e o Santuário da Divina Misericórdia.
28 de Maio de 2006 às 00:00
'Tenham coragem', pediu o Papa aos jovens em Cracóvia
'Tenham coragem', pediu o Papa aos jovens em Cracóvia FOTO: Grzegorz Monot, Epa
Os mesmos locais onde Bento XVI pediu aos milhares de peregrinos que o acolheram que se juntassem em oração para que o seu antecessor seja o mais rapidamente possível beatificado. “Quis vir aqui a Wadowice, aos lugares onde a sua fé cresceu e amadureceu, para rezar convosco, pedindo que seja rapidamente elevado à glória dos altares.”
Outro dos momentos altos, e talvez dos mais emocionantes do dia, foram as palavras que Bento XVI dirigiu, já em Cracóvia, à multidão de jovens que partilhou consigo as dúvidas e apreensões. O Papa fez uso da metáfora da ‘casa’ como símbolo da própria vida para pedir coragem aos mais novos e alertá-los para que nunca desistam dos seus sonhos. “Todas as pessoas têm no seu coração o desejo de uma casa sobre as rochas. Não tenham medo deste desejo, não desanimem se virem casas destruídas e desejos estragados. Tenham coragem!”.
Para Bento XVI, “uma casa fundada sobre as rochas nunca cai”, por isso, todos os que optaram por “uma casa fácil é porque a construíram sobre terrenos que não oferecem garantias”. Hoje, Bento XVI visita durante a tarde os campos de concentração de Auschwitz e Birkenau, ponto alto da visita à Polónia.
Segundo o porta-voz do Vaticano, foi o próprio Papa que fez questão de incluir esta passagem no roteiro. Bento XVI inicia a visita junto ao portão de Auschwitz e segue a pé até ao páteo do Muro da Morte, onde se encontra com ex-prisioneiros de várias nacionalidades e conhece a cela onde Maximiliano Kolbe morreu. Em Birkenau, Bento XVI fará uma evocação da paz, em alemão, junto ao memorial às vítimas do campo.
Ver comentários