Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

O nobre e o escravo: Descobertos corpos com quase dois mil anos em Pompeia

Dois homens terão morrido durante a fuga à erupção do Monte Vesúvio que destruiu a cidade de Pompeia.
Correio da Manhã 22 de Novembro de 2020 às 17:48
O nobre e o escravo: Descobertos corpos com quase dois mil anos em Pompeia
O nobre e o escravo: Descobertos corpos com quase dois mil anos em Pompeia FOTO: Direitos Reservados
Arqueólogos do Parque Arqueológico de Pompeia descobriram durante o mês de novembro dois corpos de habitantes que se acreditam ser de uma figura nobre e do seu escravo, com quase dois mil anos. Os restos mortais foram encontrados durante uma escavação na vila de Civita Giuliana, onde tinham já sido encontrados restos mortais de três cavalos.

Os dois homens terão morrido durante a fuga à erupção do Monte Vesúvio que destruiu a cidade de Pompeia. Os arqueólogos conseguiram fazer moldes de gesso dos dois corpos e conseguiram recolher vários detalhes das vítimas. Ambas terão morrido por "choque térmico", pois tinham as "mãos e pés cerrados". Os dentes e ossos dos dois homens foram preservados.



Investigadores acreditam que as vítimas eram um homem rico com idade compreendida entre os 30 e 40 anos, e um jovem escravo com idade entre os 18 e 23 anos.

A cidade de Pompeia que albergou milhares de pessoas antes da erupção vulcânica continua a ser um local de grande interesse, especialmente para investigadores e turistas. Pompeia foi considerada Património Mundial em 1997.


Parque Arqueológico de Pompeia Civita Giuliana artes cultura e entretenimento arqueologia questões sociais
Ver comentários