Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Obama pede voto latino em espanhol

O voto hispânico será crucial para vencer as presidenciais dos EUA. O candidato democrata, Barack Obama, está, por isso, a apostar forte nesse eleitorado, numa altura em que o rival republicano, John McCain, parece ter desistido de captar mais votos nesse grupo étnico e linguístico. Um dos aspectos mais visíveis do esforço de Obama foi a gravação de um novo vídeo, no qual se dirige, em espanhol, aos eleitores latinos.

26 de Outubro de 2008 às 00:30
Barack Obama ganha votos na comunidade hispânica, mesmo entre os cubanos do Sul da Florida
Barack Obama ganha votos na comunidade hispânica, mesmo entre os cubanos do Sul da Florida FOTO: Jim Young, Reuters

Na gravação, que só deveria ser divulgada amanhã, mas que já surgiu no YouTube, Obama fala um espanhol claro e desenvolto, apesar do sotaque, e responde às duas preocupações primordiais dos hispânicos: saúde e educação. 'Partilhamos um sonho: o de que, trabalhando duramente, a tua família pode triunfar, o de que, quando ficas doente, possas ter um seguro médico, o de que os nossos filhos possam receber uma boa educação, sejam ricos ou pobres. Este é o sonho americano. Peço o teu voto [...] para manter esse sonho vivo para ti e os teus filhos.'

Esta é a segunda vez que o senador do Illinois grava uma mensagem em espanhol, depois de ter feito o mesmo em Maio, durante as primárias democratas, num vídeo dirigido aos eleitores de Porto Rico. McCain gravou também vídeos para o eleitorado hispânico, mas em inglês com tradução espanhola e esta semana decidiu não investir mais no eleitorado hispânico.

Outro sector do eleitorado que merece atenção especial é o dos jovens. A campanha de Obama tem apostado forte também aí. Além de mensagens de texto e anúncios em jogos, repartiu gabinetes de campanha pelas principais universidades e mantém coordenadores de juventude em 14 Estados indecisos, dirigindo milhares de voluntários. McCain tem confiado sobretudo no voluntariado, organizado por um coordenador nacional.

Entretanto, a última sondagem da Zogby/CNN dava ontem nove pontos de vantagem a Obama, uma queda de três pontos desde quinta-feira.

PALIN EXPLICA ABUSO DE PODER

A governadora do Alasca e candidata republicana à vice-presidência, Sarah Palin, depôs na noite de sexta-feira durante três horas perante um comité de investigação. Em causa está o alegado abuso de poder no despedimento de Walter Monegan, responsável pela segurança pública do Alasca. Palin terá afastado Monegan por este recusar despedir o polícia Mike Wooten, que se havia divorciado na altura de forma litigiosa da irmã da governadora.

EUA EM NÚMEROS

CONSTITUIÇÃO

A lei básica dos EUA é o documento fundador das democracias contemporâneas e foi adoptado em 1789, ano da Revolução Francesa na Europa.

9 milhões

É o número de novos eleitores, de todas as idades, inscrito este ano.

80%

da população dos EUA vive em cidades, sendo Nova Iorque a maior metrópole com cerca de 21 milhões de habitantes, seguida de Los Angeles e Chicago com nove milhões.

INDEPENDÊNCIA

A independência, comemorada a 4 de Julho, foi proclamada em 1776, quando 13 colónias se uniram na rejeição da autoridade britânica.

110

medalhas somaram os EUA nos Jogos Olímpicos de Pequim.

AS FRASES

'A resposta a uma economia em recessão não é mais impostos.' - John McCain, Candidato republicano 

'Precisamos de fazer tudo para que Barack Obama seja presidente.' - H. Clinton, Ex-primeira-dama  

'McCain é a mudança? Só se vestir um fato de Halloween.' - Joe Biden, 'Vice' de Barack Obama 

PROBLEMAS NO VOTO ELECTRÓNICO

O voto electrónico pode criar problemas e dúvidas nas eleições de 4 de Novembro. Pelo menos nos Estados que usarem a máquina de voto AVC Advantage. Utilizada antes em Nova Jérsia, Pensilvânia e Luisiana, entre outros, deverá ser mantida em uso pelo menos no primeiro daqueles Estados. O problema com a máquina é que permite a manipulação de votos mediante uma intervenção de apenas sete minutos. Basta trocar um chip e os votos de um candidato vão para o outro. Quem o descobriu foi uma equipa de investigadores das universidades de Princeton e Lehigh em resposta a um pedido de averiguações do Supremo Tribunal de Nova Jérsia. A operação é facilitada pelo facto de a máquina não gerar um registo que permita verificar a correcção dos votos emitidos.

A CAMPANHA  NA TV

CBS ATENTA A MCCAIN

A campanha eleitoral continua a ocupar parte da emissão da CBS, que tem estado presente em comícios de McCain e Obama.

REPORTAGEM CNN

A CNN fez reportagem em Union Town, Pensilvânia, uma região tradicionalmente democrata.

O QUE DIZ A IMPRENSA

'Barack Hussein Obama Jr. vai ser o presidente eleito dos EUA, a primeira pessoa de cor a liderar um país industrializado.' - 'Toronto Star'

'A comunidade cubana do Sul da Florida, sólido bloco de voto republicano, está a dar sinais de divisão.' - ‘The Wall Street Journal’

'Para sete americanos em dez a cor da pele não influenciará o voto. Boas notícias para Obama.' - ‘La Stampa’

SONDAGENS DIA A DIA

RASMUSSEN REPORTS

Barack Obama: 52%

John McCain: 44%

REUTERS/C-SPAN/ZOGBY

Barack Obama: 51%

John McCain: 42%

GALLUP TRADITIONAL

Barack Obama: 50%

John McCain: 45%

CNN/OPINION RESEARCH

Barack Obama: 51%

John McCain: 46%

'SÓ ME DECIDO QUANDO CHEGAR A MINHA VEZ DE VOTAR'

'Sou independente e só me decido quando chega a minha vez de votar, mas penso que o Obama vai ser o primeiro presidente negro dos EUA', afirma José Falcão, que, apesar da crise, não sente, por enquanto, aflições no seu negócio de ourives, em Danbury, Estado de Connecticut, na Costa Este entre Nova Iorque e o Massachusetts.

No entender deste beirão, 'Obama é neste momento o melhor para os norte-americanos pela capacidade de diálogo com os muçulmanos, para resolver os problemas do terrorismo.

'Tem também muito apoio da juventude', prossegue. 'Os meus filhos vão votar nele, mas eu, que não gosto de nenhum a cem por cento, devo decidir-me pelo McCain. É uma sensibilidade, porque quanto a promessas os políticos prometem muito, mas esquecem tudo'.

José Falcão gosta mais de votar pelos eleitos locais, do Connecticut e de Danbury porque nesses casos conhece pessoalmente os candidatos, mas até agora também nunca falhou uma presidencial. 'Votei no Reagan e no Bush tanto em 2000 como em 2004, mas nunca no Clinton que se diz que foi um grande presidente', recorda, com uma última palavra sobre a crise actual: 'Como também faço ourivesaria, aguento-me, mas se fizesse só venda, estava com problemas.'

PERFIL

José Manuel Moreira falcão, de 59 anos, nasceu em Medelim, Idanha-a-Nova, e aprendeu arte de ourives com um tio antes de ir para os EUA, em 1973. Hoje tem a ourivesaria Faltom no 207, Main Street, de Danbury, no Connecticut. Tem dois filhos e cinco netos.

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)