Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Obama: Turquia tem o direito de defender espaço aéreo

Hollande reconhece incidente grave.
24 de Novembro de 2015 às 19:59
O presidente francês François Hollande e o presidente norte-americano François Hollande
O presidente francês François Hollande e o presidente norte-americano François Hollande FOTO: EPA

O Presidente norte-americano, Barack Obama, afirmou esta terça-feira que a Turquia tem o direito de defender o seu espaço aéreo, numa reação ao abate de um caça-bombardeiro russo pelas forças de Ancara.

A Turquia anunciou esta terça-feira que dois dos seus caça-bombardeiros F-16 abateram um SU-24 russo que violou o espaço aéreo turco dez vezes num período de cinco minutos ao longo da fronteira com a Síria, ignorando todas as advertências.

"A Turquia, como todos os países, tem o direito de defender o seu território e o seu espaço aéreo", disse Obama, durante uma conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo francês, François Hollande, na Casa Branca, em Washington.

Tanto Obama como Hollande alertaram contra uma eventual escalada de tensões após este incidente com o caça russo, manifestando preocupação sobre as consequências desta situação naquela região tão volátil.

Ao lado de Obama, o chefe de Estado francês reconheceu que o abate do caça-russo pela Turquia é um "incidente grave" e pediu uma maior "coordenação" dos ataques contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI) na Síria, de forma a "prevenir qualquer escalada".

Turquia abateu um SU-24 russo

"É um incidente grave, que lamentamos (...). Devemos prevenir qualquer escalada, vermos quais são os riscos. Devemo-nos coordenar", indicou Hollande.

O Presidente francês acrescentou que "a Turquia deve investigar e ver se efetivamente [o avião] violou a fronteira". O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou hoje que o abate do avião russo pela Turquia junto à fronteira com a Síria foi "uma facada nas costas" que vai ter "consequências sérias" nas relações entre os dois países.

"A perda de hoje foi uma facada nas costas que nos foi dada por cúmplices de terroristas", disse Putin. "Naturalmente vamos analisar tudo o que se passou. E os eventos trágicos de hoje vão ter consequências sérias para as relações russo-turcas", advertiu o chefe de Estado russo.

O Presidente francês vai a Moscovo na quinta-feira

Hollande, que iniciou esta semana uma ronda de contactos diplomáticos com vários líderes internacionais após os atentados do passado dia 13 de novembro em Paris, viaja na quinta-feira para Moscovo para reunir-se com Putin.

"Vamos pedir a Putin que os ataques devem ser contra o EI, contra o terrorismo", referiu Hollande, reiterando que o objetivo é destruir o grupo radical sunita, e como tal deve existir uma "coordenação" antiterrorista.

Antes de viajar para a capital russa, Hollande recebe em Paris a chanceler alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro italiano Matteo Renzi. Na segunda-feira, um dia antes do encontro com Barack Obama em Washington, Hollande encontrou-se em Paris com o primeiro-ministro britânico, David Cameron.

Ver comentários