Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Pai agita bebé até à morte 15 dias depois de a adotar

Homem mantinha uma relação homossexual e era instrutor de fitness.
6 de Novembro de 2017 às 13:01
Menina tinha 18 meses
Homem foi considerado culpado
Menina tinha 18 meses
Homem foi considerado culpado
Menina tinha 18 meses
Homem foi considerado culpado
Um instrutor de fitness foi considerado culpado, esta segunda-feira, por agitar até à morte a filha adotiva de 18 meses, em Cardiff, no País de Gales.

Matthew Scully-Hicks, de 31 anos, tinha adotado Elsie Scully-Hicks 15 dias antes de a agitar e a atirar contra uma parede, provocando a sua morte.

O homem, que mantinha uma relação homossexual com Craig, de 36 anos, negou ter assassinado a menina mas os juízes declararam-no culpado.

A menina foi agredida em casa e acabou por morrer no Hospital Universitário de Cardiff, depois dos médicos confirmarem que a bebé apresentava lesões graves na cabeça.

"Não foi a primeira vez que Matthew atacou a menina, nem foi a primeira vez que a lesionou gravemente", disse o juiz Lewis.

O homem chegou mesmo a enviar mensagens ao marido a dizer que a pequena Elsie tinha um ar "psicótico" e que o diabo estava "vestido de bebé".

Uma vizinha do casal confirmou ainda que chegou a ouvir gritos e o homem a mandar calar a criança.
Lewis Elsie Scully-Hicks Matthew Scully-Hicks Cardiff País de Gales Craig
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)