Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

PAPA AFIRMA QUE DEUS O CONVIDOU A CONTINUAR

À mesma hora que em 16 de Outubro de 1978 o fumo branco anunciou ao mundo o nome do novo Pontífice, João Paulo II falou ontem perante 50 mil peregrinos e 300 bispos e cardeais concentrados na Praça de São Pedro para as comemorações dos 25 anos do seu pontificado.
17 de Outubro de 2003 às 00:00
Nesta sua histórica homilia fez referência à polémica questão dos abusos contra menores e também ao diálogo com o Islão, não se esquecendo de abordar aquilo que mais preocupa os fiéis: a sua saúde. “Deus convida-me a continuar a assumir as responsabilidades”, afirmou, pedindo aos católicos que rezem por ele.
“Apesar de conhecer as minhas fragilidades, Deus pede-me para continuar, encoraja- -me a responder com fé e convida-me a assumir as responsabilidades que me confiou” – afirmou o Sumo Pontífice, que assim pôs termo definitivamente às especulações sobre o sua resignação.
MENSAGEM AOS BISPOS
Falando com voz um pouco trémula perante uma multidão de fiéis emocionados, João Paulo II pediu aos fiéis que rezem para que ele tenha forças para continuar.
O Santo Padre não leu a homilia até ao fim, mas deixou uma mensagem forte aos bispos, pedindo-lhes que sejam firmes na resolução de casos em que se verifiquem “lapsos graves e crimes”, sobretudo quando estão envolvidos homens da Igreja. “O vosso dever é a reparação do escândalo e a restauração da Justiça, fazer tudo o que for preciso para a protecção e assistência das vítimas”, disse-lhes sem rodeios.
João Paulo II salientou ainda a importância do diálogo entre as fés, lembrando que os ataques de 11 de Setembro criaram “novas e graves situações de incerteza e medo”.
Apesar da sua debilidade física, o Papa estará presente em vários eventos comemorativos do jubileu de prata do seu pontificado. Amanhã reunir-se-á com bispos e cardeais e no domingo celebrará uma missa para assinalar a beatificação de Madre Teresa de Calcutá.
Assistem a estas comemorações altas individualidades de todo o mundo, designadamente chefes de Estado, astronautas e atletas. Muitos fiéis encaram estas comemorações como a despedida do Santo Padre, na convicção de que não resistirá muito tempo aos males de saúde que há anos o atormentam.
LÚCIA QUEBRA SILÊNCIO PARA FELICITAR PONTÍFICE
A vidente irmã Lúcia, que guardou consigo durante décadas o terceiro e último ‘Mistério de Fátima’, quebrou ontem o silêncio para saudar João Paulo II no dia das ‘bodas de prata’ do seu pontificado. Elogiando o trabalho “que tem feito em nome de Deus”, Lúcia considerou o Papa o “pai espiritual da cristandade”. Caso pudesse deslocar-se a Roma para cumprimentar pessoalmente o Pontífice, Lúcia afirmou que gostaria de “felicitá-lo e dizer-lhe que continua a rezar por ele para que possa continuar a sua santa missão entre os homens.
MISSA NOS GERÓNIMOS
No âmbito das comemorações do Jubileu de prata do pontificado de João Paulo II, o bispo das Forças Armadas e de Segurança, D. Januário Torgal Mendes Ferreira, presidiu ontem à eucaristia das Academias, que decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa.
ORAÇÃO
Em uníssono, sacerdotes e peregrinos oraram pelo Santo Padre, que ontem deu provas mais uma vez da sua força e determinação presidindo durante horas às cerimónias comemorativas do 25.º aniversário do seu pontificado. Cansado mas satisfeito, João Paulo II promete continuar.
VIP
Nas cerimónias da comemoração dos 25 anos do Pontificado doe João Paulo II estão presentes altas individualidades e suas esposas, como os presidentes da Polónia, Aleksander Kwaniewski e Jolanta (em cima), e da Itália, Carlo Cimpi e Franca.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)