Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Papa Bento XVI saúda muçulmanos

O Papa Bento XVI dirigiu ontem uma “saudação cordial” e desejos de “serenidade e paz” aos muçulmanos por ocasião do fim do Ramadão e sublinhou a sua solidariedade com as “vítimas inocentes” da violência no Iraque.
23 de Outubro de 2006 às 00:00
O Papa fez também um apelo aos líderes religiosos e à comunidade internacional para que se encontre uma saída para a “grave situação de insegurança e actos de violência atrozes” que se vive no Iraque.
“Estou feliz por enviar um saudação cordial aos muçulmanos do mundo inteiro que celebram por estes dias o fim do mês de jejum do Ramadão e dirijo--lhes os meus votos de serenidade e de paz”, declarou o Papa da janela dos seus aposentos no palácio do Vaticano. Recorde-se que o Papa Bento XVI foi criticado por muçulmanos de todo o mundo por causa do seu controverso discurso sobre o Islão durante uma recente viagem à Alemanha, que foi interpretado como um ataque àquela religião.
O Sumo Pontífice, que falava na sequência da oração do Angelus, referiu-se ainda a todas as vítimas do conflito no Iraque, independentemente de serem “xiitas, sunitas ou cristãos”. Bento XVI apelou a orações para que os responsáveis religiosos e políticos, no Iraque e no Mundo, encontrem a “coragem” de procurar uma solução para o Iraque que respeite “os equilíbrios” e a “diversidade” do país. “Entendo a viva preocupação que atravessa a comunidade cristã e desejo assegurar-lhe que estou próximo dela, como de todas as vítimas”, declarou Bento XVI.
Ver comentários