Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Papa celebra em Bagdade a primeira missa pública no Iraque

Homilía contou com a presença de cerca de 180 fiéis e do Presidente iraquiano.
Lusa 6 de Março de 2021 às 17:36
Papa Francisco celebra missa em catedral na capital iraquiana, Bagdade
Papa Francisco celebra missa em catedral na capital iraquiana, Bagdade
Papa Francisco celebra missa em catedral na capital iraquiana, Bagdade
Papa Francisco celebra missa em catedral na capital iraquiana, Bagdade
Papa Francisco celebra missa em catedral na capital iraquiana, Bagdade
Papa Francisco celebra missa em catedral na capital iraquiana, Bagdade
Papa Francisco celebra missa em catedral na capital iraquiana, Bagdade
Papa Francisco celebra missa em catedral na capital iraquiana, Bagdade
Papa Francisco celebra missa em catedral na capital iraquiana, Bagdade
O Papa Francisco celebrou este sábado em Bagdade a sua primeira missa pública de rito oriental no Iraque perante uma assembleia escassa devido à pandemia de covid-19, com cerca de 180 fiéis e onde esteve o Presidente iraquiano.

Com esta missa papal sem precedentes no Iraque, celebrada na Igreja de São José, no centro de Bagdade, o chefe da igreja católica, de 84 anos, celebrou a sua primeira missa de rito oriental que foi falada em árabe, em aramaico, curdo e turcomano, bem como o italiano.

A cerimónia nesta igreja, no centro da capital, contou com a presença surpresa do presidente iraquiano curdo, Barham Salih, com quem Francisco se encontrou à chegada ao país árabe.

No segundo dia da sua histórica visita ao Iraque, Francisco celebrou a sua primeira missa pelos fiéis cristãos, castigados nos últimos anos por a perseguição do grupo terrorista do Daesh.

O Papa quis usar o rito sírio-oriental para homenagear as igrejas cristãs orientais, que enriquecem as liturgias. O papa falou em italiano e os fiéis responderam em árabe.

Na sua homilia, baseada na leitura das bem-aventuranças, o Papa perguntou: "como é possível bem-aventurados, para o mundo, são os ricos, os poderosos, os famosos" quem conta.

Mas, para Deus, "não é grande o que tem mais, mas sim quem não é pobre de espírito, não é quem domina os outros, mas sim quem é manso com todos, não é o que é aclamado por multidões, mas sim quem é misericordioso com seus irmãos".

Com a celebração desta missa, Francisco concluiu o segundo dia da viagem ao Iraque, num dia histórico em que se reuniu com o líder espiritual dos xiitas, o aiatola Ali al Sistani, e viajou para Ur, onde a tradição diz que nasceu o patriarca Abraão, venerado por as três grandes religiões monoteístas: judaísmo, cristianismo e islamismo.

Este domingo, o Papa visita três cidades em menos de 10 horas. Viajará à destruída Mosul, onde o Daesh proclamou o seu "califado", em 2014, a Qaraqosh, a maior cidade cristã do Iraque, e a Erbil a capital do Curdistão e onde celebrará o ato com maior número de pessoas, uma missa para 10.000 fiéis.

Bagdade Presidente Iraque Papa Francisco religião questões sociais
Ver comentários