Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Parasita em lente de contacto cega mulher

Claire Wilkinson está a sofrer há 10 anos.
20 de Setembro de 2017 às 11:08
Claire Wilkinson
Claire Wilkinson
Os pés da mulher começaram a inchar
Claire Wilkinson
Claire Wilkinson
Claire Wilkinson
Claire Wilkinson
Os pés da mulher começaram a inchar
Claire Wilkinson
Claire Wilkinson
Claire Wilkinson
Claire Wilkinson
Os pés da mulher começaram a inchar
Claire Wilkinson
Claire Wilkinson

Claire Wilkinson, de 38 anos, ficou cega há 10 anos depois de um parasita se ter alojado numa lente de contacto. O caso aconteceu em Brisbane, no estado australiano de Queensland.

A mulher descobriu mais tarde que o parasita provocou uma Queratite por Acanthamoeba, ou seja, uma infeção ocular rara que levou a mulher a perder a visão.

Numa luta constante contra a infeção, Claire prepara-se agora para se mudar para o Reino Unido para ser tratada no famoso Hospital Moorfields Eye de Londres.

Os sintomas de que alguma coisa não estaria bem começaram em 2007. A mulher conta que começou com uma comichão enorme nos olhos e que a dor se tornou de tal maneira insuportável que a descreveu como 100 vezes pior que a dor de um parto, segundo o jornal Metro.

Os primeiros relatórios médicos, revelaram que a mulher estaria com uma conjuntivite, no entanto, Claire sentiu alguma coisa a mover-se nos olhos quando veio mais tarde a descobrir que afinal tinha uma parasita.

Um oftalmologista diagnosticou a mulher com Queratite por Acanthamoeb, uma infeção da córnea, causada por um organismo chamado ‘acanthamoeba’, que normalmente é encontrado na água das torneiras e das piscinas.

"Não queria acreditar. O parasita começou a procriar nos meus olhos. Foi nojento", disse a mulher quando descobriu que a bactéria tinha ‘comido’ o nervo óptico.

Depois de vários tratamentos, o parasita que indicava ter desaparecido voltava a cada 10 meses. A mulher submeteu-se a um transplante da córnea, contudo, não funcionou.

Sem encontrar solução que acabasse com as dores e com o parasita, foi diagnosticada ainda, Neuralgia do trigémeo, provocando à mulher dores fortes e paralisações no rosto.

Mias tarde, a mulher sofreu um acidente vascular cerebral (AVC), que a deixou paralisada, como consequência, a mulher ficou sem cabelo, começou a ficar com inchaços nos pés e perdeu parte da capacidade motora.

A mulher que teve de aprender novamente a caminhar, procura agora ajuda noutros países.

"Foi-me dito que a tecnologia aqui não está disponível", referiu Claire.

"A minha filha sai da escola daqui a quatro anos e depois vamos todos para Londres. Eu sei de uma operação que me pode curar, no Reino Unido", acrescentou.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)