Parlamento do Luxemburgo rejeita petição para proibir empresas de pedir língua portuguesa

Se a petição não for reformulada no prazo de um mês, será definitivamente rejeitada.
14.06.18
  • partilhe
  • 1
  • +
O parlamento do Luxemburgo rejeitou uma petição que propunha que as empresas no Luxemburgo fossem proibidas de pedir candidatos que falem português, considerando-a discriminatória.

"A Comissão não pode admitir uma petição em que se pede para proibir uma língua [em anúncios de emprego], mas não outras, como o sueco ou o chinês", disse Vera Haas-Gelejinsky, secretária da Comissão das Petições, responsável por analisar os pedidos.

A petição n.º 1032, proposta em 28 de maio por Samantha Gaertner, propunha "proibir os empregadores de reclamar a língua portuguesa para um posto de trabalho no Luxemburgo", de acordo com o título publicado no site do Parlamento luxemburguês.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!