Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Pedro Sánchez volta a falhar formação de governo em Espanha

Realiza-se esta quinta-feira a segunda votação para a investidura apesar de não haver consenso.
Rita F. Batista 25 de Julho de 2019 às 08:51
Secretário-geral do PSOE volta a não conseguir o apoio de que necessita para poder formar governo e tornar-se no primeiro-ministro espanhol
Secretário-geral do PSOE volta a não conseguir o apoio de que necessita para poder formar governo e tornar-se no primeiro-ministro espanhol FOTO: EPA
Depois de uma tentativa falhada para ser eleito primeiro-ministro de Espanha, Pedro Sánchez voltou esta quarta-feira a não conseguir chegar a acordo com o Podemos.

Com propostas de parte a parte, aquela que levou ao rompimento das negociações foi apresentada pelo Podemos, que exigiu ao líder dos socialistas uma vice-presidência e cinco ministérios. Tratar-se-ia da vice-presidência dos Direitos Sociais e Ambientais, que coordenaria os ministérios nas suas áreas de competência. Proposta que não foi aceite pelo PSOE de Sánchez, que sugeriu antes a vice-presidência dos Assuntos Sociais e apenas três ministérios.

A segunda votação para a investidura realiza-se hoje ao início da tarde (12h30 em Portugal continental), apesar de Sánchez não ter conseguido um acordo.

As negociações foram retomadas um dia após a primeira votação, que resultou em fracasso para o PSOE, que tentou ontem, de novo em vão, convencer o Podemos e os partidos independentistas e regionalistas - aqueles que, na primeira volta, se abstiveram.

Os trabalhos para alcançar um acordo para a formação de governo têm sido feitos em contrarrelógio já que as forças políticas têm estado a trabalhar para que as eleições não se repitam e tal só é possível havendo um entendimento.

As negociações entre a vice-presidente do governo, Carmen Calvo, e Pablo Echenique, do Podemos, chegaram mesmo a estar paradas durante a tarde.

O Podemos garantia que se tratava apenas de uma "pausa para almoço", mas os socialistas não continuaram enquanto o partido liderado por Pablo Iglesias não respondesse à última proposta feita pelo PSOE. As negociações retomaram, com constantes entraves para alcançar um consenso político. Pedro Sánchez reiterou a "necessidade de desbloquear [a situação] para que Espanha possa continuar a avançar".

SAIBA MAIS

lugar é a posição em que se encontra Espanha, numa lista de 27 países com o processo de formação de governo mais lento. Nos primeiros lugares encontram-se Holanda, Austrália, Itália e Bélgica.

Moção de censura
Pedro Sánchez é primeiro-ministro desde junho do ano passado, após ter sido aprovada a moção de censura que destituiu o governo de Mariano Rajoy. Na altura, Sánchez teve o apoio dos deputados do Podemos, do ERC, do PDeCAT, Compromisso, Bildu e Nova Canária.
Pedro Sánchez Espanha Podemos PSOE Mariano Rajoy política PP partidos e movimentos Pablo Iglesias
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)