Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

"Peguei na almofada e sufoquei-o até à morte"

As autoridades de Nottinghamshire, no centro de Inglaterra, estão a investigar um apresentador britânico, depois de este ter confessado que pôs fim à vida de um ex-amante que estava doente com sida.
16 de Fevereiro de 2010 às 16:05
Ray Gosling
Ray Gosling FOTO: BBC

A confissão de Ray Gosling, de 70 anos, fez a revelação numa emissão da BBC dedicada ao tema da morte assistida para doentes em fase terminal.

O apresentador explicou que terminou com o sofrimento do homem, não identificado, hospitalizado em estado grave 'no início da epidemia de sida', pelo que as autoridades acreditam que o alegado crime se terá passado durante os anos 80.

'No hospital, o médico disse: 'já não podemos fazer nada' e ele sofria terrivelmente', contou. 'Eu disse ao médico: 'deixe-me sozinho um momento' e ele partiu. Peguei na almofada e sufoquei-o até à morte ', acrescentou.

Gosling explicou ainda que tinha feito um pacto com o seu antigo amante: 'Tínhamos combinado que se algo acontecesse, eu poria termo à sua vida e foi o que fiz'.

Desde 1961 que o suicídio assistido é ilegal em Inglaterra e no País de Gales, e punível com uma pena máxima de 14 anos de prisão.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)